13 de Maio de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

CLARA CORREIA

Sonho meu…

23 de Abril 2021

Queridos leitores, é muito bom estar de volta 10 meses depois de ter publicado o último texto no nosso (muito) querido jornal… queridos leitores, é muito bom estar de volta 13 anos depois de ter começado a “conversar” convosco nestas “páginas de luxo”… queridos leitores, este é o mês perfeito para o meu regresso!!!

Temos vivido tempos menos fáceis e desafiadores… onde ter ânimo (e coragem) para juntar letrinhas pode transformar-se num sonho (im)possível… onde ter vontade de rir à gargalhada pode (apenas) fazer parte da(s) nossa(s) história(s)… onde ter a guitarra no colo pode ser um desafio (quase) olímpico…

…falando de guitarras, quando eu era muito pequena recebi uma (linda) guitarra que era muito grande. Esta acabaria por esperar alguns anos para ser tocada e veio a ser a minha companheira devida apenas a partir da idade de liceu. Até ao final do meu curso, e início da (muito) ativa vida profissional, a guitarra fartou-se de viajar comigo pelo (meu) mundo e eu cheguei a sonhar um dia vir a tocar como a Joan Baez (o que nunca viria a acontecer)!

Depois de muitos anos sem ser tocada, a minha velhinha guitarra, que um dia foi muito mais alta do que eu, precisava de ir ao médico. Encontrei na cidade de Lisboa um simpático senhor, natural de Arganil, que tem uma oficina de reparação de guitarras. Ali a deixei, despedindo-me com saudade, há mais de um ano. De vez em quando ia telefonando para saber notícias da “minha menina” e as saudades foram crescendo. Há dias recebi o telefonema que tanto esperava: a “minha menina” está preparada para regressar a casa. É verdade que agora tem uma “irmã mais nova” que mal conhece, mas também é verdade que continua (e continuará) a ser a “minha menina” e estou com muita vontade de a voltar a tocar e (re)tocar. O nosso reencontro será na próxima segunda feira e vai ser lindo…

Hoje o que toco é muito diferente do que tocava quando a minha guitarra era maior do que eu… hoje o sitio onde mais gosto de tocar é a varanda da nossa casinha de Coimbra… hoje o meu público de luxo são duas crianças pequeninas que gritam o meu nome enquanto se preparam para dormir a sesta… hoje, sento a guitarra no colo e ensaio “fazer a dança das flores no meu pensamento”… hoje, mais do que nunca, tocar a minha linda guitarra, que já foi maior do que eu, é um sonho meu…


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM