13 de Julho de 2020 | Coimbra
PUBLICIDADE

GNR aposta na videovigilância e drones para prevenir incêndios florestais

30 de Junho 2020

A Guarda Nacional Republica (GNR) vai utilizar sistema de videovigilância e aeronaves não tripuladas (drones) para melhorar as condições de prevenção e deteção de incêndios rurais nas freguesias identificadas como prioritárias.

Esta medida surge no âmbito das operações de vigilância das florestas e da coordenação das ações de prevenção relativas à vertente da vigilância e deteção de incêndios, que compete à GNR. Assim, está a ser utilizado um sistema de videovigilância em cerca de 25 por cento do território nacional, cobrindo “áreas-sombra” dos postos de vigia, bem como um conjunto de drones, como forma de potenciar as atividades de vigilância e deteção de incêndios rurais, em particular nas 1.114 freguesias prioritárias.

A GNR explica, em nota divulgada, que “este meio constitui-se como complemento ao patrulhamento móvel e à Rede Nacional de Postos de Vigia (RNPV), a qual viu ativada a Rede Secundária ontem, dia 29 de junho, acrescentando 153 postos aos 77 postos da Rede Primária, ativos desde 7 de maio”. Até ao dia 28 de junho foram contabilizados 282 alertas de incêndio pelos Postos de Vigia e 23 pelo sistema de videovigilância, adianta.

Estes meios de vigilância e deteção de incêndios rurais nascentes vêm permitir uma intervenção dos meios de combate de forma mais célere e precisa. Para além do alerta às entidades responsáveis pelo combate, a RNPV contribui ainda para a georreferenciação da ocorrência, através do processo de triangulação e da produção de informação complementar útil de apoio à decisão operacional.

A GNR tem em implementação uma plataforma que estabelece mecanismos de coordenação entre as entidades do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais (SGIFR) e outros organismos e instituições envolvidas ou a envolver nas operações da vigilância e deteção, designado por Dispositivo Integrado de Vigilância e Deteção de Incêndios Rurais (DIVDIR) para concretizar a articulação e a otimização do emprego operacional dos meios disponibilizados pelos diversos atores.

Desta forma, a GNR – enquanto pilar da coordenação das ações de prevenção operacional, vigilância, deteção e fiscalização – disponibiliza informação permanente de apoio à decisão aos Comandos Distritais da Proteção Civil, sendo que a coordenação das ações de prevenção operacional é feita através das Equipas de Manutenção e Exploração de Informação Florestal (EMEIF) da GNR, que funcionam junto de cada um dos 18 Comandos Distritais de Operações de Socorro (CDOS).

A GNR disponibiliza ainda um serviço de atendimento telefónico SOS ambiente e território – 808 200 520 –, disponível 24 horas por dia, durante todo o ano, através do qual poderão ser expostas situações e colocadas dúvidas. Este ano, até ao dia 28 de junho, foram já recebidas 5.568 denúncias através desta linha.

A GNR lembra que “a proteção da floresta e de todo o meio ambiente depende de todos”.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM