6 de Dezembro de 2019 | Coimbra
PUBLICIDADE

Natal repensado: um guia prático para compra consciente

27 de Novembro 2019

Não é preciso gastar muito nem dar prendas caras para ser querido. Aproveite o melhor do Natal

A época de Natal é a época do ano favorita de muitos em Portugal. Seja pela união familiar, seja pelas rabanadas e outras guloseimas, esse é um tempo de comunhão e paz nos mais diversos lares.

Porém, mesmo essa infusão de ares benéficos pode trazer más consequências para algumas pessoas – de carácter financeiro. O período de fartura e de presentear reverte-se, para muitas pessoas, em desequilíbrios de contas.

De acordo com o estudo sobre intenções de consumo no Natal realizada pelo Observador Cetelem,  dos 95% dos portugueses comemoram a data, apenas 30% tenciona poupar. A pesquisa aponta que os gatos com o natal em 2019 vão superar os registados no ano passado, com uma média de 388 euros.

Por isso, este artigo traz um pequeno guia prático para compras conscientes

Quem compra antes poupa mais

Compras de Natal não se fazem no mês de dezembro. O mês do Natal pode oferecer ótimas condições de compra, mas um consumidor atento e que se planeia para comprar com muita antecedência ou em época de saldos

Calendário dos bons saldos

Embora ainda não seja muito difundida em Portugal, a Black Friday é uma ocasião que pode ser muito positiva para esse propósito.

Esta sexta-feira no final de novembro é um marco de grandes saldos nos Estados Unidos e em outros países pelo mundo.

Infelizmente, menos da metade da população aproveita as promoções do Black Friday e a Cyber Monday. Obviamente é preciso ter cautela em qualquer negociação. Boas aquisições demandam uma pesquisa mais detalhada de produtos, porém, tipicamente os lojistas promovem diminuições dramáticas nos preços de itens de consumo normalmente caros. A Rádio Popular folheto, por exemplo, traz um catálogo online com opções imperdíveis para a compra de aparelhos electrónicos.

A Ceia

A Ceia natalina é um aspecto do Natal que infelizmente recebe menos atenção em famílias menores, mas que é central nesse feriado.

Assim como no item 1 dessa lista, as compras das comidas típicas da Ceia são mais baratas se os ingredientes forem comprados com antecedência. Evitam-se também, assim, a falta de itens e as grandes multidões nos mercados, já que 38% do subsídio natalino é destinado às compras em Super ou Hipermercados.

A lista amiga

A questão do teto de gastos é o passo mais fundamental para evitar uma “ressaca” natalícia no orçamento. O hábito de comprar em promoção é de apenas 32% da população, por isso, saldos com a Black Friday merecem mais atenção na hora de presentear.

A lista de presentes deve começar com a conta de quantas pessoas estarão envolvidas nas festividades e quanto dinheiro será gasto com o total das compras.

Natal sustentável

Uma preocupação crescente é a do impacto ambiental deixado por cada um de nós. A chamada “pegada carbónica” é um modo de medir o impacto dos atos individuais no meio ambiente.

Hoje, cria-se toda uma indústria em torno desse conceito, com o oferecimento de serviços de menor impacto ecológico como catálogos online e produtos biodegradáveis. Embora seja uma preocupação adicional, isso pode ser aplicado no planejamento das compras natalinas e até mesmo nos embrulhos ecológicos.

Felizmente, a essência do Natal é a boa intenção – não apenas de quem dá o presente, mas também de quem recebe. Por mais terrenas que possam ser a ocupações com as compras, o Natal segue sendo época de espalhar o amor. E que assim continue por muito tempo!


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM