27 de Maio de 2022 | Coimbra
PUBLICIDADE

JOÃO PINHO

Carta aberta à Covid-19

30 de Abril 2020

Meu caro vírus Covid-19,

Tomo a liberdade de me dirigir a ti, pois o ser humano anda a utilizar-te de forma abusiva. Desde que apareceste na longínqua China e decidiste atacar a minha espécie, num ato legítimo de sobrevivência, a humanidade procura empurrar para ti a justificação de todas as suas ações. Como não podes falar nem escrever, esbocei-te uma sumária defesa com a qual penso que concordarás, no geral e no particular:

Que culpa tens tu que os grandes laboratórios farmacêuticos e centros de investigação médica tenham abandonado a procura de uma vacina para a SARS em 2003, um vírus da tua família? Na verdade, se tivessem continuado não só teríamos um sério problema de saúde pública resolvido, como também estaríamos mais próximos de te controlar.

Que culpa tens que a China não tome medidas higiénicas e sanitárias em prol do seu povo, desrespeitando normas internacionais assumidas, para evitar repetidas situações infeciosas? De facto, o mundo tem pactuado, repetidamente, e por interesses económicos, com a grande potência da Ásia a quem quase tudo se permite.

Que culpa tens que a Organização Mundial de Saúde tenha demorado a perceber o teu caráter vincado e explosivo? Não obstante terem acesso privilegiado a dados e informações desde finais de 2019.

Que culpa tens que a Itália tenha facilitado nas normas de segurança a aplicar, já depois de conhecido o caráter pandémico da tua personalidade? Até um jogo da liga dos campeões se permitiu, no que terá constituído uma bomba biológica para a tua disseminação.

Mas há mais meu caro vírus. Foi graças ao teu aparecimento que as nações tomaram consciência como os Estados são frágeis e assentam em pés de barro. Até o projeto Europeu está neste momento colocado em causa por falta de solidariedade entre países!

Já agora, umas palavritas sobre o meu país à beira mal plantado:

Sabes que em Portugal as medidas para conter o teu avanço tardaram a ser aplicadas, pois a Direção Geral de Saúde achava que eras inofensivo apesar da matança em Wuhan? E que tentam empurrar para ti as responsabilidades de todos os regimes de lay-off, teletrabalho, despedimentos e redução de custos? Ou que muitos políticos se aproveitam de ti para se promoverem, fazendo das páginas oficiais de instituições públicas, nas redes sociais, autênticas máquinas de propaganda, já com os olhos nas eleições de 2021?

Teria muito mais para te contar sobre as manobras que estão a ser maquinadas, na sombra e nos bastidores, onde se vem alegando a tua existência para liquidar os mais fracos e desfavorecidos.

Agradeço que não respondas a esta carta nem me contactes. Dispenso o contágio; tenho mais de quarenta anos, uso máscara, higienizo as mãos e cara, cumpro o confinamento e distanciamento social. Deixa-te estar sossegado e procura hibernar. Aceita, entretanto, um cumprimento meu com uns 10 metros de intervalo. Ok?


  • Diretora: Lina Maria Vinhal

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM