24 de Outubro de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

Candidatura a Coimbra Capital Europeia da Cultura é “inclusiva e apaixonada”

16 de Abril 2021

A imagem e o vídeo promocional da candidatura de Coimbra a Capital Europeia da Cultura 2027 foi apresentada anteontem, numa cerimónia transmitida a partir do Convento São Francisco, sem público presencial mas que pôde ser acompanhada em direto por todos através das redes sociais do Município.

Trata-se, como sublinhou o presidente da Câmara de Coimbra, Manuel Machado, de “uma candidatura de braços abertos, acolhedora e agregadora”, onde todos são bem vindos já que todos “somos mais fortes”. Considera que Coimbra tem tudo para ser Capital Europeia da Cultura, uma vez que é uma cidade “onde se fazem amizades para o resto da vida”, uma “terra de encontro, de culturas, de pessoas, de filosofias, de modos de viver, onde todos são bem vindos, bem recebidos e onde deixam a sua marca”. Toda esta dinâmica é, como frisa, “um atrativo para impulsionar a cultura”, uma área que “vai ser uma das alavancas para sairmos da crise”.

O coordenador do Grupo de Trabalho, Luís de Matos, descreveu também, de forma até emocionada, esta candidatura como uma “candidatura inclusiva, mobilizadora e apaixonada”. “Não se esgota no que hoje fazemos, não se cumpre com o que acontecerá em 2027, motiva-se no que, como coletivo, desejamos que a nossa região seja a partir de agora e para lá de 2028”, realçou.

Luís de Matos diz que se trata de “mostrar o que Coimbra quer, pode e deve ser no panorama nacional e internacional”, reafirmando que “queremos ser a Capital Cultural de um país chamado Europa em Portugal”. Destacou, também, o trabalho que a equipa que lidera tem vindo a desenvolver ao longo de quase três anos, tendo ouvido e partilhado reflexões e sonhos com “centenas de pessoas, agentes culturais, responsáveis políticos, líderes de instituições, criadores e tantos outros cujos corações batem por Coimbra”.

Esta união em torno da candidatura – que envolve também a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM RC) e os 19 municípios que a compõem – faz da candidatura de Coimbra uma “candidatura de uma região coesa em termos geográficos, políticos, funcionais e, acima de tudo, culturais”.

Para Luís de Matos, a sua importância é também evidente nas “mais de 100 propostas” apresentadas ao concurso para eleger a imagem oficial, tendo sido o “concurso público mais participado de sempre no Município”.

A vereadora da Cultura, Carina Gomes, enaltece também a forte união criada em torno desta candidatura, nomeadamente o envolvimento dos 19 municípios da CIM RC. “Esta candidatura tem essa particularidade de valorizar aquilo que é diferente em cada um destes municípios, olhar para o território como um território só”, realça. Considera que, pelo trabalho que está a ser desenvolvido, Coimbra “tem grandes possibilidades de ganhar a candidatura” mas assume ainda que, “se não ganharmos, o caminho que estamos a fazer é muito importante”.

Presente na sessão, o presidente da CIM RC, José Carlos Alexandrino, mostrou-se também muito confiante numa vitória de Coimbra, considerando que “tem todos os ingredientes para que saia vencedora”. Diz que “Coimbra é a força que une todos estes territórios” e que, independentemente do resultado, “vai valer a pena”, porque o trabalho que está a ser feito “fará a diferença no território destes 19 municípios”.

Conduzida pela cantora Marisa Liz, a cerimónia contou ainda com a participação de outros músicos, que presentearam a assistência com a sua música. Assim, à voz de Marisa Liz (acompanhada por Tiago Pais Dias), juntaram-se as de André Sardet, Aurea, Pedro Abrunhosa e o grupo de fados conimbricense àCapella.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM