21 de Outubro de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

Lousã adia festival gastronómico Sabores de Outono

30 de Outubro 2020

A Câmara Municipal da Lousã decidiu cancelar a edição deste ano do festival gastronómico Sabores de Outono, depois de auscultar os agentes de restauração e a Associação Empresarial Serra da Lousã (AESL). Esta medida tem em conta as atuais restrições à normal atividade das unidades de restauração provocadas pela pandemia Covid-19, bem como as regras de prevenção impostas. De acordo com a autarquia, a maioria dos restaurantes do concelho concordou com a decisão, entendendo que “não era a altura mais adequada para realizar um festival com a qualidade das edições anteriores”, opinião partilhada também pela AESL.

A Câmara explica que “a atratividade turística do concelho se tem mantido em crescendo – tendência que se verifica há vários anos – e que a procura pelos restaurantes e alojamentos da Lousã tem sido elevada e constante e que, como tal, seria difícil dar resposta ao eventual crescimento do fluxo de clientes gerado pelo festival”.

O festival – bem como outras iniciativas gastronómicas que fazem parte do calendário de animação lousanense – regressará assim que estiverem criadas as condições mais adequadas para a sua realização. A autarquia relembra ainda que, tendo em conta o crescimento do número de infetados, a adoção de medidas de proteção individual é fundamental para garantir a segurança de todos.

Lousã adere ao programa “Vacinação SNS Local”

Neste contexto de pandemia, o Município aderiu ao programa “Vacinação SNS Local”, que permite que os idosos sejam vacinados, de forma gratuita, contra a gripe nas farmácias do concelho. Desta forma, a autarquia amplia os meios e recursos disponíveis para proteção dos munícipes com idade igual ou superior a 65 anos. Nos termos do protocolo agora estabelecido, comparticipa, em regime de complementaridade com a Associação Dignitude, 90 por cento do preço de administração de vacinas contra a gripe. Segundo o Município, esta medida significa um investimento municipal de 3.375 euros, num universo de 1.500 eventuais beneficiários, sendo a reposição de stocks nas farmácias da responsabilidade do ministério da Educação. Luís Antunes, presidente da autarquia, explica que esta medida visa “proteger os munícipes mais vulneráveis”, permitindo que “as vacinas sejam administradas em maior escala e não se criem perturbações ao normal funcionamento das unidades de saúde”.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM