2 de Dezembro de 2020 | Coimbra
PUBLICIDADE

Câmara de Coimbra apoia instituições que asseguram ajuda alimentar às famílias

20 de Novembro 2020

O Município de Coimbra formalizou dois contratos-programa com duas instituições sociais que asseguram apoio alimentar às famílias carenciadas do concelho – a Associação das Cozinhas Económicas Rainha Santa Isabel (ACERSI) e o Banco Alimentar Contra a Fome de Coimbra.

Formalizados pelo presidente da Câmara, Manuel Machado, estes contratos contemplam um valor superior a 18.200 euros e vão permitir que as instituições continuem a prestar apoio alimentar às famílias em situação de maior vulnerabilidade socioeconómica do concelho, agravada pela pandemia da Covid-19, assegurando-lhes a entrega de bens alimentares e o fornecimento de refeições. A autarquia sublinha que “esse apoio alimentar imediato às famílias mais carenciadas é atualmente uma das respostas prioritárias” do Município.

O apoio municipal à ACERSI e ao Banco Alimentar Contra a Fome de Coimbra foi calculado no âmbito do Regulamento Municipal para Atribuição de Apoios na Área Social (RMAAAS). A ACERSI vai receber um montante de 10.616,19 euros, que lhe possibilitará dar continuidade ao trabalho desenvolvido no Refeitório Social, assegurando que as pessoas economicamente desfavorecidas, residentes no concelho de Coimbra, tenham acesso a refeições de forma imediata. Já o Banco Alimentar Contra a Fome de Coimbra vai receber uma verba de 7.600 euros, que permitirá que o Município continue a dispor de uma instituição que possui uma organização logística profissional para a recolha e o encaminhamento de produtos alimentares, respetiva triagem e armazenagem, bem como controlo de qualidade e armazenamento em frio.

De referir que, anteriormente, tinha sido já formalizado um apoio à delegação de Coimbra do CASA – Centro de Apoio aos Sem-Abrigo, que vai receber 8.500 euros, de modo a que esta instituição consiga continuar a fornecer refeições de forma imediata às pessoas economicamente mais desfavorecidas que residam no concelho de Coimbra.

Recorde-se que, em agosto, Manuel Machado formalizou a assinatura dos protocolos do Fundo Municipal de Emergência Social (FMES) para o ano de 2020, uma verba no valor de 158.000 euros que representa um reforço ao FMES. Em março, a Câmara tinha já antecipado 158.000 euros, numa única tranche, para permitir o apoio imediato às populações em situação de maior vulnerabilidade social. Com o reforço da dotação em outros tantos 158.000 euros, a autarquia disponibiliza este ano o total de 316.000 euros ao FMES.

No mês passado, o executivo aprovou mais sete apoios financeiros a Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho, num valor global superior a 110 mil euros, a atribuir também no âmbito do RMAAAS. As IPSS contempladas são a Plataforma PAJE – Apoio a Jovens (ex)Acolhidos (2.640 euros); a Casa dos Pobres de Coimbra (11.577,51 euros); o Centro Social e Recreativo da Cidreira (15.087,50 euros); o Centro Social e Paroquial de S. João do Campo (10.679,71 euros); o Centro Social de S. João (42.137,22 euros); a Associação Nacional de Apoio a Jovens – AnaJovem (14.190,71 euros); e a Comunidade Juvenil Francisco de Assis (14.126,53 euros).


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM