27 de Fevereiro de 2024 | Coimbra
PUBLICIDADE

SANSÃO COELHO

Uma cidade (a Coimbra da saúde) – dois hospitais

19 de Junho 2020

Há algo difícil de entender ao verificar que está a ser necessário realizar manifestações para reivindicar a AUTONOMIA COM TODAS AS VALÊNCIAS e, obviamente URGÊNCIA ABERTA 24 sobre 24 horas, do HOSPITAL DOS COVÕES (HOSPITAL GERAL). Já aqui citei, em anteriores apontamentos, alguns dos mais prestigiados profissionais que estiveram ao serviço do Hospital dos Covões referindo a excelência científica e a faceta amplamente humanista que este hospital sempre alardeou. Recentemente, aquando do CORDÃO HUMANO que levou milhares de pessoas a manifestarem-se em defesa de um completo e permanente Serviço de Urgência nos Covões, tive ocasião de ler o que disse ao Diário de Coimbra o DR. JOSÉ MANUEL ALMEIDA ex-diretor do Serviço de Urgência dos Covões. E o que disse fere a alma dos conimbricenses e não apenas dos que residem na margem esquerda ou zona sul da cidade, mas ainda dos milhares de beirões que da Figueira da Foz até Castelo Branco também eram servidos pelos Covões. Referiu este eminente clínico que desde a “criação do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) existe uma tentativa para que o Hospital dos Covões seja desmantelado” e foi mais longe ao lembrar que os serviços de urgência dos Covões em Coimbra e do Hospital Santo António do Porto eram considerados dos melhores do país. Coimbra é reconhecida como a CAPITAL DA SAÚDE OU DAS CIÊNCIAS DA VIDA, mas o que é bom e prestigiante parece acabar esfumando-se sem que possamos bater o pé ou retificar tão rápido quão necessário.

Creio estar nas mãos do Governo Central e do Partido Socialista a possibilidade de devolverem DE IMEDIATO a TOTAL AUTONOMIA AO HOSPITAL DOS COVÕES e junto a esta unidade ser construída a NOVA MATERNIDADE.


  • Diretora: Lina Maria Vinhal

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM