24 de Setembro de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

MANUEL BONTEMPO

Três pintores

31 de Janeiro 2020

Já há muito que Isabel Zamith nos habituou a exposições de alto gabarito, no desenho perfeito a condizer com os motivos, a forma num excelente cromatismo adequado numa atividade conhecitiva no jogo de trabalhos relevantes, na variedade dos temas, onde a figura, não raro, ganha no tempo e no espaço outros matizes e a pintora notável volta-se sempre nas suas exposições para o telúrico e mesmo para um singular panteísmo que mostra o húmus da terra.

Poeta, por vezes, a forma que prende pelo traço desvendando a terra lusa numa pintura do mais casto e genuíno que existe na feitura da sua arte.

A sua pintura é vida. É coisa que mexe com as emoções, com a estética, com a verdade e com as metamorfoses na divulgação da beleza formal.

Genial tantas vezes em exposições de sabor único!

Foi assim em Coimbra!

*****

É uma pintora introspetiva Helena Toscano e tantas vezes propensa a desenhar a Cabeça de Cristo em moldes inéditos mas na dimensão bíblica.

No século XIX foi uma figura exemplar na divulgação da pintura de Coimbra, com reuniões, com charlas, e incentivou o aparecimento de uma nova filosofia com parceiros ilustres, como Pinho Dinis, Mário Silva, Tesha, Pedro Olaio (Filho), José Berardo, Penicheiro, J. Eliseu (Filho), e outros que muito contribuíram para o fulgor que se viveu em Coimbra onde não se esquecem Hébil e os autodidatas, António Costa e Adriano Costa.

*****

Poetisa com cinco livros publicados Alda Belo queda-se muitas vezes no retrato ou nas figuras que mostram a leveza do seu lápis ou das tintas.

A par dos versos é a pintura o seu refúgio intelectual que teve origem em Moçambique quando lá foi professora e culminou em Coimbra com três exposições invulgares, uma das quais na Rua da Sofia no primeiro andar do Café Império motivo para uma série de palestras, de troca de pontos de vista enquanto durou o certame com gente de todos os estratos sociais.

Tempos agora mais esporádicos onde feneceu o gosto por estes eventos de raiz cultural.

Quadros de funda penetração a sua obra está representada em colecções particulares e penetrou até ao estrangeiro no auge do seu labor.

*****

São três figuras, de mulheres ligadas a Coimbra pela arte e pela empatia da terra dos trovadores e cantares que faz enternecer o coração…


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM