15 de Abril de 2024 | Coimbra
PUBLICIDADE

António Inácio Nogueira

TESTEMUNHOS: Oitenta Anos Feitos

17 de Março 2023

Fazer aniversário é, quase sempre, motivo de júbilo.

Realizei tantos sonhos, tive saúde para continuar buscando novos empreendimentos, houve pessoas, em meu redor, que me amaram. Fizeram-me tão bem. Estou grato por essas vivências.

Nasci, cresci, chorei, por vezes sorri, cai e levantei-me, afinal, a vida é quase sempre assim… Todos os dias renasci, todos os dias amadureci, todos os dias carpi mágoas, todos os dias raramente esbocei sorrisos, todos os dias caí e o mais importante é que todos os dias me ergui!…

Todas as quedas foram necessárias para me reedificar, cada vez, mais forte.

Hoje sou velho, muitas vezes me sinto só, não faço o que já fiz. Sempre que caio, reerguer é íngreme. Quase tudo o mais esfumou no tempo, longo tempo, nos dias que perfazem oitenta anos.

Hoje sinto que estar vivo, quase sempre, não é claro, porque repetidamente se me instala a noção de que tudo é apenas uma reiteração.

Hoje tenho a sensação de que ao abrir portas se erguem muros de betão barrando-me a passagem. A pessoa parece que perece em vida.

Não façam caso, tudo são queixumes de velho birrento e piegas firmando-se no passado!…

Desabafos de muitos maridos, pais e «vovós», aquando dos oitenta anos feitos.

 

 

 


  • Diretora: Lina Maria Vinhal

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM