1 de Dezembro de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

ANTÓNIO INÁCIO NOGUEIRA

TESTEMUNHOS: A Filha do «Homem Grande»

31 de Janeiro 2020

Existe uma grande empresária angolana que em cerca de duas décadas conseguiu pôr de pé um enorme império e, concomitantemente, angariar uma enorme fortuna. Em vários países, e no seu também, é proprietária ou grande acionista de várias empresas ligadas ao grande retalho, à comercialização de diamantes, aos petróleos, às telecomunicações, à indústria pesada, à atividade bancária, – e sei lá mais em quê.

Portugal não fugiu ao seu poder e agilidade. Atente-se na sua participação em empresas como a SOREFAME, NOS, GALP, BIP, por exemplo.

No seio de um país em que a pobreza impera e as guerras, ao longo dos últimos tempos, desbarataram o sobrante, emergiu uma deusa dos negócios.

O seu pai, o tal «Homem Grande», exerceu o cargo de presidente de Angola durante um período longo. Foi, por coincidência, na sua vigência que o império da filha foi emergindo. Intervenção ou auxílio do pai? Como posso eu, desconhecido e simples mortal, passar além da interrogativa.

Chegado o tempo, foi eleito um novo supremo magistrado da Nação. A partir desse instante, a família do antecessor, inclusive a da empresária em apreço, nunca mais teve sossego.

Hoje um, amanhã outro, são todos condenados na praça pública por estarem ligados a atos graves de corrupção que lesaram o Estado em muitos milhões de euros. Os Tribunais angolanos também não ficaram quietos e acionaram processos nos quais alguns já são arguidos, a outros fizeram o confisco dos bens.

A mulher de sucesso caiu do pedestal, veremos se houve muitos ferimentos para si, e, por arresto, para muitos milhares dos seus trabalhadores.

A filha do «Homem Grande» afirma que está completamente inocente, tudo não passando de um ajuste de contas, – estamos, na sua opinião, perante um ato político de devastação da imagem e vida de quem tanto fez por Angola.

Eu não sei, mas, diz-se por aí, que o pai da grande empresária, lhe facilitou a vida e a obtenção da fortuna.

E muito mais…

Os tribunais ditarão a sentença. Para já, Isabel dos Santos está inocente até tramitação final dos atos.

E o «Homem Grande», – como chama o povo angolano a todos os homens que têm poder –, José Eduardo dos Santos, também. Aguardo o desenlace, com expectativa. E se as provas ditarem culpados, que sejam punidos, severamente, como exemplo.

O fim da corrupção em Angola, assim o exige.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM