6 de Outubro de 2022 | Coimbra
PUBLICIDADE

Recantos apetecíveis para quem fica por Coimbra durante o verão

2 de Agosto 2019

Quem passa as férias na cidade ou está a trabalhar neste período de verão e quer desfrutar de um fim de semana diferente, longe dos centros comerciais mas sem sair de Coimbra, questiona-se, muitas vezes, sobre o que pode fazer ou onde ir, sem gastar muito dinheiro ou fazer grandes quilómetros.

Apesar do património incalculável que a cidade reúne, certo é que muitos dos seus habitantes o desconhecem. Mas não nos debruçamos hoje sobre esse património construído que está à vista de todos e que pode ser conhecido em qualquer altura do ano. Nesta época que convida ao lazer e à reunião das famílias e dos amigos, procuramos deixar aqui sugestões de alguns espaços aprazíveis que estão abertos a todos, de forma gratuita e que permitem diferentes utilizações.

A Praia Fluvial de Palheiros e Zorro, na Freguesia de Torres do Mondego, é bem conhecida da população e dos visitantes. Ostenta a Bandeira Azul há vários anos, prova da qualidade da sua água, e oferece a quem a visita um ambiente seguro e tranquilo, onde pode desfrutar dos apetecíveis banhos no Rio Mondego mas também passar um dia agradável no areal, desfrutando da bela paisagem verde que rodeia esta praia fluvial, um pequeno paraíso para quem prefere o rio à praia.

Permite também a prática de vários desportos, como caminhadas, btt, canoagem, pesca e vólei de praia e dispõe das necessárias infraestruturas de apoio, como sanitários com chuveiros mas também um bar, grelhadores, parque de merendas, acessibilidades para deficientes motores, vigilância balnear, estacionamento e transportes públicos.

Praia do Rebolim: um novo destino

Praia do Rebolim, a nova proposta para quem quer ir a banhos sem sair de Coimbra

Provavelmente ainda desconhecida de muitos é a nova praia fluvial do Rebolim, que nasceu, no ano passado, perto do Pólo II da Universidade de Coimbra, na Quinta da Portela. O presidente da Câmara, Manuel Machado, anunciou esta nova praia durante o hastear da Bandeira Azul na Praia Fluvial de Palheiros e Zorro, em junho de 2018, sublinhando na altura a importância de possibilitar que “os recursos naturais do nosso território sejam usufruídos pela generalidade dos cidadãos” e considerando ainda que esta nova praia reúne “as condições de segurança em termos de saúde pública e em termos de utilização dos leitos e das águas e dos recursos naturais que temos”.

Continuar a melhorar esta praia é o objetivo da Câmara que, na passada sexta feira, anunciou que “continua diariamente a melhorar o acesso e as condições no Rebolim”, junto ao Rio Mondego, tendo sido assinado nesse dia a escritura para a aquisição de um terreno contíguo à zona que está a ser reabilitada. “Depois de realizada a limpeza de vegetação, de lixeiras e de outros detritos sobrantes da antiga extração de areias, e de melhorados profundamente os acessos, o espaço público continua a ser requalificado para aprazimento de todos, neste local ímpar de acesso ao Rio Mondego”, realça a autarquia.

A compra deste terreno, com cerca de 15.000 metros quadrados, representa um investimento de cerca de 80.000 euros e vai permitir a criação de uma área de estacionamento e de instalações sanitárias. A Câmara adianta, ainda, que no local vai nascer uma ciclovia que vai ligar a circular da Boavista até ao Rio Mondego, interligando no futuro à ciclovia de Coimbra, construção que se irá iniciar brevemente e que prevê a criação de mais 14,5 quilómetros de ciclovia na cidade

Esta é, portanto, uma nova resposta para quem gosta de ir a banhos sem sair de Coimbra, podendo desfrutar assim de um espaço aprazível e das águas do Mondego.

Praia Fluvial do Botão ainda sem água

Praia Fluvial do Botão, quando ainda havia água em abundância no leito

Por entre muito verde e acessos em terra batida, esconde-se a Praia Fluvial do Botão. Um paraíso recôndito, desconhecido de muitos mas muito apreciado por quem dele já usufruiu, mas que agora, lamentavelmente, conduz ao engano quem vai, efetivamente, à procura de um refrescante banho. Quem se habituou a fazer aquele percurso, em busca das águas quentes e daquele espaço calmo e convidativo, depara-se hoje com um leito seco.

Os anos secos dos últimos verões, a par com os estragos provocados no pavimento de cimento pelas cheias de 2016 que levam a grandes perdas de água, têm tornado impraticável o usufruto daquela praia. O presidente da União de Freguesias de Souselas e Botão, Rui Soares, considera que aquela é “a joia da coroa” da localidade e lamenta que “a água que lá corre atualmente não dê para encher o leito do rio”.

“Há algumas fugas no pavimento por onde se perde alguma água mas mesmo que as fechemos não se consegue encher e assegurar as necessárias condições de limpeza” que, como explica o autarca, obrigam ao seu esvaziamento cerca de três vezes por verão.

Adianta, contudo, que a junta está a estudar soluções para aquele “espaço aprazível” da freguesia e que já falou, inclusive, com “especialistas do setor” para analisar as possíveis soluções.

“Aquele espaço é uma mais valia e é nossa intenção investir lá no futuro, fazer um parque de campismo e ter uma piscina mais pequena que funcione como alternativa nestes anos mais secos, em que o caudal do rio não nos permita ter a praia a funcionar. Aquela é uma área espetacular, onde temos que fazer uma intervenção de fundo”, sublinha, acrescentando que a intenção do executivo passa também por criar ali caminhos pedonais e outras atrações que potenciem o turismo e a fruição pela comunidade.

Lembra também que, apesar de não poderem ir a banhos, aquela continua a ser uma área propícia ao lazer e ao convívio. “Não está, de forma alguma, abandonada. Ainda no fim de semana a junta esteve lá a limpar porque aquele é um espaço utilizado frequentemente, tanto pelas crianças das escolas como pela comunidade. Apesar de não ter água no rio, continua a ser um espaço aprazível para muitas outras utilizações e é um sítio fantástico para passar um dia”, assegura.

Jardins históricos da cidade

Parque Dr. Manuel Braga

Quem prefere desfrutar da natureza sem ir a banhos, tem também muitas opções na cidade e nas suas várias freguesias e uniões de freguesia. Aqui ficam algumas, uma espécie de roteiro por alguns dos mais emblemáticos e históricos jardins que vão, com certeza, agradar aos visitantes.

Jardim da Sereia

Começa-se pelo lendário jardim da Quinta das Lágrimas, espaço tão ligado à bela e trágica história de amor de Pedro e Inês. Tendo o rio Mondego como cenário, sugere-se o Parque Verde, com tantas atrações em ambas as margens, e o Parque Dr. Manuel Braga, com as suas frondosas árvores e belos recantos que convidam ao lazer. Subindo mais para a Alta, não pode deixar de visitar o Jardim Botânico, com os seus monumentos, estufas e a vasta mata, que pode ser agora atravessada a pé ou de autocarro. O Penedo da Saudade, com a bela vista sobre Coimbra e todas as memórias que guarda, é outro ponto de passagem obrigatório, assim como o Jardim da Sereia, que tanta beleza reúne. Seguindo em direção à Baixa, podem atravessar-se os jardins da Avenida Sá da Bandeira e parar no Jardim da Manga, uma obra que continua a marcar a paisagem da cidade. De referir ainda as belas matas de Coimbra – a do Choupal e de Vale de Canas –, dois espaços que oferecem também muitas atrações.

Jardim Botânico

Muitos outros espaços e recantos poderiam ser aqui referenciados, mostrando que há, de facto, muitos locais aprazíveis para desfrutar dos períodos de descanso sem sair do concelho.

Mata Nacional do Choupal


  • Diretora: Lina Maria Vinhal

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM