23 de Setembro de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

Projeto pioneiro aposta no envelhecimento ativo

31 de Outubro 2019

Seis municípios da região Centro – Figueira da Foz, Cantanhede, Mira, Mealhada, Montemor-o-Velho e Penacova – integram o VirtuALL, um projeto pioneiro em Portugal que visa o envelhecimento ativo de idosos.

Coordenado pela Associação de Desenvolvimento Local da Bairrada e Mondego (AD ELO), este projeto foi apresentado na semana passada, em Montemor-o-Velho, com o Salão Nobre da autarquia a transformar-se, através da realidade virtual, numa “campanha de vindimas”, onde uma idosa cumpriu, ao longo de dois minutos, um exercício físico no qual tinha como objetivo colher o maior número de cachos de uvas e, com estas, produzir vinho.

“Sempre sorridente e com movimentos certos, mas com uma atenção redobrada para coordenar o uso em simultâneo dos braços e das pernas, Manuela Costa conseguiu apanhar 22 cachos de uva, dar 59 passos e ‘fazer’ 13 litros de vinho”, conta a autarquia, considerando que este “jogo interativo foi um dos exemplos daquilo que os seniores do concelho vão poder encontrar e usufruir no projeto VirtuALL”.

“Este projeto visa fazer-vos desassossegar e obrigar-vos a rir, a brincar, a fazer exercício e a estimular algumas das faculdades que vão perdendo com o tempo”, sublinhou o presidente da Câmara, Emílio Torrão, dirigindo-se aos seniores do concelho, acrescentando que esta é mais uma resposta que a autarquia pretende dar-lhes no sentido de lhes proporcionar “novas vivências e experiências”, devendo envolver cerca de um milhar de idosos do Município. Adiantou ainda que, embora o projeto tenha, para já, um horizonte de funcionamento de dois anos nos seis municípios da sua área de atuação, a intenção é complementá-lo, no caso de Montemor-o-Velho, com iniciativas próprias.

No global, Emílio Torrão explicou que este projeto inovador “visa animar esta população sénior, mas estará aberto também a pessoas com problemas graves do foro mental que necessitem e careçam de estimulação sensorial e que este tipo de equipamentos pode proporcionar”. Considera que se trata de “pura inovação social”, baseando-se o VirtuALL numa corrente “que estuda em profundidade a realidade da área das demências no norte da Europa” e é “prática corrente” em países como a Noruega, Suécia ou Finlândia para, “através da estimulação sensorial e dinamização de exercício físico, proporcionar qualidade de vida à população mais idosa”.

O diretor executivo da AD ELO, António Santos, explicou, por sua vez, que o VirtuALL engloba um conjunto de equipamentos portáteis – desenvolvidos em parceria com o Instituto Superior Técnico e ainda em versão de protótipo -, que integram tecnologia já existente, nomeadamente em consolas de jogos, mas, neste caso, aplicada às necessidades efetivas da população sénior.

“Há uma plataforma que permite avaliar o equilíbrio, em que são propostos exercícios que depois resultam na demonstração da capacidade de equilíbrio frontal, posterior e lateral de cada um. E uma balança que dá um conjunto de indicadores sobre a situação física da pessoa, como a massa corporal, índice de água e metabolismo”, indicou, acrescentando que “os exercícios têm níveis de complexidade diferenciados”, podendo ser executados por pessoas com mobilidade reduzida.

O projeto agora apresentado, orçado na globalidade em 400 mil euros financiados em larga maioria pelo programa Portugal Inovação Social, vai ser realizado nos seis municípios participantes por uma equipa de três técnicas especialistas em psicologia, fisioterapia e geografia humana.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM