16 de Setembro de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

Portugal vai eleger os seus melhores doces

15 de Fevereiro 2019

Os portugueses vão ficar a conhecer os melhores doces do país. É este o tema que inspira a nova edição do concurso “7 Maravilhas”, evento que, depois de eleger as “7 Maravilhas à Mesa”, que privilegiou a gastronomia, vinhos, azeites e roteiros, vai agora desafiar o país a apresentar e a escolher as “delícias” de Portugal.

As candidaturas às “7 Maravilhas Doces de Portugal” decorrem até 7 de março e, pela primeira vez, podem incluir sete doces numa só proposta. Lançado na terça feira, em Lisboa, o concurso surge desta vez com algumas novidades, contando com um grande júri, eliminatórias distritais, duas semifinais e uma grande final. Catarina Furtado e José Carlos Malato continuam a ser os “embaixadores” do projeto, enquanto anfitriões das três galas que serão emitidas pela RTP1 e RTP Internacional.

Durante o lançamento desta edição, o presidente das “7 Maravilhas”, Luís Segadães, explicou que este projeto pretende olhar para “a doçaria portuguesa com uma perspetiva inovadora”. Assim, se por um lado aposta na “criação de novos doces, que exploram produtos endógenos e de época”, por outro, valoriza “a formação e a especialização em novas profissões associadas à doçaria e pastelaria portuguesa”.

Claro que os doces que marcam a nossa infância, que são típicos por todo o país em épocas festivas, que são doces identitários de uma localidade ou região vão também fazer parte desta eleição. Um dos pilares das ‘7 Maravilhas’ tem sido, desde sempre, dar a conhecer as nossas tradições, contribuindo para a sua preservação. Por muito que o projeto se reinvente, a nossa missão mantém-se”, sublinhou.

Doces de Território, Bolo de Pastelaria, Doce de Colher e Doce à Fatia, Biscoitos e Bolos Secos, Doces Festivos, Doces de Fruta e Mel e Doces de Inovação são as categorias a concurso. De acordo com os promotores, “a grande aposta deste ano é na inovação à base de produtos endógenos, incentivando ao empreendedorismo local”, sendo também critérios preponderantes a tradição e a importância económica, social e cultural dos doces.

As candidaturas são realizas online, no site oficial das “7 Maravilhas”. Nesta oitava edição os candidatos são votados por cada um dos 18 distritos e duas regiões autónomas, com 20 programas em direto a realizar nos meses de julho e agosto. Haverá nesta fase sete candidatos por distrito e regiões autónomas, num total de 140 doces candidatos, sendo que de cada programa na RTP sai um pré-finalista que passa às semifinais.

Uma novidade desta edição é a existência de um grande júri, órgão de deliberação constituído por sete figuras do espaço mediático, que será responsável pela “repescagem” de oito candidatos que se irão juntar aos 20 pré-finalistas.

Os 28 pré-finalistas são divididos por sorteio pelas duas semifinais, nos dias 24 e 31 de agosto, dois programas em direto na RTP1, transmitidos em horário nobre. Em cada semifinal são apurados os sete doces que tenham mais votos contabilizados.

A Gala Finalíssima decorre a 7 de setembro de 2019 e será transmitida pela RTP1, também em horário nobre. Dos 14 finalistas apurados, os portugueses vão eleger as “7 Maravilhas Doces de Portugal.

Bairrada e Mondego novamente unidas

Depois da conquista do título “7 Maravilhas à Mesa”, os seis municípios envolvidos na candidatura “Mesa da Bairrada ao Mondego” – Cantanhede, Figueira da Foz, Mealhada, Mira, Montemor-o-Velho e Penacova – vão continuar unidos, agora para promover a doçaria da região.

Este anúncio foi feito já em dezembro último, durante um jantar de “agradecimento e celebração” desta importante vitória conseguida em Albufeira. Na altura, as autarquias envolvidas adiantaram que estavam já a delinear a candidatura conjunta que irão apresentar nesta nova edição do concurso nacional “7 Maravilhas”, que será, mais uma vez, liderada pela AD ELO – Associação de Desenvolvimento Local da Bairrada e Mondego.

Casticitos, caramujos e Morgado do Bussaco (Mealhada), nevadas e pastéis de Lorvão (Penacova), pastéis de Tentúgal (Montemor-o-Velho), bolo de Ançã (Cantanhede), brisas (Figueira da Foz) e arroz doce com ovos (Mira) são alguns dos doces típicos desta região e que deverão integrar a possível candidatura.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM