27 de Setembro de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

Perto de 82 mil pessoas emigraram em 2018

20 de Dezembro 2019

Perto de 82 mil pessoas emigraram em 2018, sendo que, destes, quase quatro em cada 10, saiu de Portugal a título permanente, por um período igual ou superior a um ano. Esta é uma das conclusões de um estudo apresentado anteontem, Dia Internacional das Migrações, pela Pordata, base de dados estatísticos da Fundação Francisco Manuel dos Santos que, nesta matéria, elaborou 17 destaques estatísticos sobre o contributo do saldo migratório na dinâmica da população, a evolução e características dos emigrantes e imigrantes, a importância das remessas e o número e composição da população estrangeira a residir em Portugal.

Os dados agora divulgados mostram, também, que cerca de um em cada 10 bebés nascidos, de mães residentes em Portugal, é de mãe com nacionalidade estrangeira e que, nos últimos 10 anos, as comunidades estrangeiras que mais cresceram, em termos relativos, foram os nepaleses (21 vezes mais, embora a comunidade não ultrapasse 11,5 mil cidadãos) e os franceses (quatro vezes mais). Quase duplicou ainda a comunidade de indianos, espanhóis, chineses e britânicos.

O relatório dá também conta que os municípios com maior proporção de estrangeiros no total da sua população residente são algarvios e que as remessas dos imigrantes chegaram, em 2018, aos 533 milhões, 3,5 vezes mais do que o montante atingido em 1996. Quase metade destas remessas vai para o Brasil (48 por cento), seguido da China (10 por cento) e França (cinco por cento).

Numa análise aos últimos anos, os resultados apontam para uma quebra na população portuguesa desde 2010, com o país a registar uma perda de quase 300 mil pessoas entre 2010 e 2018. Na questão da emigração, continuam a ser mais os homens a emigrar.

Em termos de imigração, no ano passado, entraram em Portugal, com a intenção de permanecer no país, cerca de 43 mil pessoas, mais 13 mil que em 2008, sendo de realçar que mais de metade dos imigrantes em 2018 são mulheres. No que toca à idade, desde 2014 que mais de metade dos imigrantes tem 30 ou mais anos.

Estes são apenas alguns dos dados divulgadas pela Pordata que, no âmbito do Dia Internacional das Migrações, traça uma espécie de “diagnóstico” à dinâmica registada a nível da emigração e imigração.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM