22 de Fevereiro de 2020 | Coimbra
PUBLICIDADE

“O Vigor da Mocidade” celebra 90 anos cheio de força e dinamismo

17 de Janeiro 2020

Começam amanhã (18 de janeiro) as celebrações dos 90 anos do Grupo Recreativo “O Vigor da Mocidade”. Esta coletividade de Fala, na União de Freguesias de S. Martinho do Bispo e Ribeira de Frades, completa nove décadas a 1 de fevereiro e vai comemorar esta efeméride ao longo de todo o ano, com um programa cultural e desportivo que quer envolver toda a comunidade, mostrando-lhes o “vigor” e dinamismo que fazem deste um clube de referência na cidade.

Chegar aos 90 anos só é possível com “muita dedicação e muita paixão”. Para Mário Fernandes, que integra esta coletividade há mais de 40 anos e assume a sua Direção há 26, só assim se pode continuar a traçar o percurso deste clube que chega a esta bela idade “forte, com muito vigor e recheado de afetos”.

Neste momento de celebração, o presidente quer os cerca de 700 sócios, simpatizantes e, também, toda a comunidade envolvidos nestas comemorações que abrem amanhã, às 21h00, na sede do clube, com uma noite de fados, e que se vão estender até ao final do ano.

Certo de que só é possível chegar a estes 90 anos e sonhar com o centenário trabalhando de “forma digna, honesta e dedicada”, recorda todos aqueles que marcaram a história de “O Vigor” e que tornaram possível trazê-lo até aqui.

Criado por um grupo de homens solteiros, requisito fundamental na altura, “O Vigor da Mocidade” nasceu a 1 de fevereiro de 1930, dedicando-se inicialmente apenas à parte recreativa. Só anos mais tarde, em 1967, é que entrou nas primeiras competições distritais da Associação de Futebol de Coimbra, começando a trilhar assim um novo percurso que nunca mais abandonou, fazendo mesmo alguns “desvios” que o conduziram a outras modalidades que têm hoje um enorme peso na vida da coletividade, como a natação, a patinagem e a ginástica.

De acordo com Mário Fernandes, conta atualmente com cerca de 350 atletas distribuídos por estas quatro modalidades. É no futebol que os números são mais representativos, com mais de 125 atletas nos vários escalões. A patinagem tem também grande dinamismo, com mais de 90 atletas, assim como a ginástica, que conta com cerca de 70. Na natação, participam nas competições cerca de 25.

O presidente lembra que este é “um clube eclético e aberto”, que acolhe pessoas de todas as idades (os mais novos têm três anos) e que serve toda a União de Freguesia (UF) de S. Martinho do Bispo e Ribeira de Frades mas também as freguesias envolventes, atraindo ainda muitos atletas de toda a cidade.

Apesar do futebol ser a modalidade mais antiga, o clube tem brilhado e crescido em todas. A patinagem, com cerca de três anos e meio, é a mais recente, tendo surgido cerca de ano e meio depois da ginástica. “As duas modalidades estão muito bem, têm crescido muito tanto em número de atletas como no trabalho que tem sido desenvolvido pelos monitores”, realça, orgulhoso dos títulos nacionais e dos vários lugares de pódio conquistados.

Piso sintético é a prenda mais desejada

Neste momento de celebração, “O Vigor” continua a ansiar pelo novo piso sintético. Mário Fernandes lembra que o piso atual conta já com 14 anos, tendo sido o primeiro a ser colocado na altura, encontrando-se agora “muito danificado”, fruto “da carga intensa, do número de atletas e dos treinos e jogos que aí se fazem”.

Esta é “a prenda fundamental para 2020” pois, como defende, só assim é possível assegurar “melhores condições” aos atletas. De acordo com o presidente, a obra ronda os 150 mil euros e espera que, durante este ano, a Câmara de Coimbra ajude o clube a concretizar este sonho. “Tem sido difícil, compreendo a demora porque a Câmara, há três anos, colocou-nos um piso em madeira no pavilhão mas acredito que este ano nos irá apoiar. Sabe o trabalho que desenvolvemos em prol do desporto, conhece a realidade do clube e acredito que nos vai colocar o piso sintético. Essa é a prenda que gostávamos de receber nestes 90 anos”, sublinha.

Para além deste, há outro projeto que Mário Fernandes gostava de concretizar. Há 26 anos na presidência, assume que gostava muito de “adquirir parte dos terrenos adjacentes ao completo desportivo”, para que aí fosse construído um campo de futebol de sete. “Gostava muito de, quando saísse da presidência, deixar o clube com essas condições”, avança, considerando que estas são melhorias que beneficiariam toda a margem esquerda do Mondego e que proporcionariam ainda um maior dinamismo à coletividade.

Uma história de luta e glória

Ao longo destes 90 anos, “O Vigor” viveu muitos momentos de luta e de glória, acompanhando, como é natural, os vários contextos que marcaram a sociedade nestas nove décadas. Mário Fernandes recorda que surgiu como “um clube de aldeia”, que teve “muito boa aceitação pelas pessoas de Fala” e que tem “um passado muito atrativo”, marcado não só pelas glórias conquistadas a nível desportivo mas também pelo significado que teve para aquela comunidade.

De facto, nos seus primeiros anos, “O Vigor” funcionou, acima de tudo, como palco de encontro, lazer e confraternização. “Era ali que as pessoas se juntavam, se divertiam nos bailaricos, que conviviam”, explica, recordando que “muitos casais surgiram ali”, naquele espaço onde apareceu também “a primeira televisão de Fala”.

Os laços de afetividade criados então mantém-se até hoje e refletem-se nos muitos sócios que acompanham o clube praticamente desde a sua origem. Segundo Mário Fernandes, há pessoas com 70 e 80 anos de associados, estando o número um ainda vivo, havendo alguns que ainda se continuam a encontrar na sede, no centro de Fala, onde funciona também o bar, mas também no completo desportivo, na Rua do Campo do Vigor, onde está o pavilhão, o campo de futebol e o ginásio.

Atualmente, os elos são diferentes e, apesar dos 700 associados, os habitantes da UF já não sentem o clube da mesma forma. “Hoje as pessoas vêm de fora, compram aí os seus apartamentos mas o clube não lhes diz muito”, realça. A prática do desporto é, em muitos casos, incutida pelos pais, que incentivam os filhos, mas a exigência da sociedade e a correria do dia a dia não deixa grande tempo para a socialização.

“Antigamente ninguém ia buscar os filhos à escola, as crianças brincavam na rua e jogavam à bola descalços… Tinham que se desenrascar. As pessoas juntavam-se mais. Hoje é impensável mandar um filho de 10 anos sozinho para a escola de comboio. A cultura e a maneira de estar é completamente diferente”, sublinha.

Mas, independentemente de todas as mudanças sociais, a verdade é que “O Vigor” continua a crescer. “Estamos bem e abertos a outras modalidades que se justifiquem. Para além das quatro modalidades referidas, temos outras pequenas atividades, como o kempo (arte marcial), zumba e outros eventos culturais e recreativos esporádicos, e estamos recetivos a tudo o que seja em prol do desporto, da parte recreativa e da sociedade. As nossas portas estão sempre abertas”, explica.

Mário Fernandes enaltece também o apoio e ligação existente com a comunidade e as várias entidades da UF, a começar, desde logo, pelos sucessivos executivos que têm presido à Junta de Freguesia, num “reconhecimento evidente pelo trabalho que tem sido desenvolvido”.

Estes 90 anos têm, também, essa missão de trazer todos para as celebrações destas nove décadas de história. O clube está cada vez mais perto dos 100 anos e quer manter este vigor até lá. Este ano de 2020 será, portanto, de festa, com muitas realizações, como eventos desportivos, galas, jantar de aniversário, noites de fados e outros eventos.

Um ano de celebrações

O 90.º aniversário do Grupo Recreativo “O Vigor da Mocidade” vai ser comemorado ao longo de todo o ano. As celebrações começam já amanhã, às 21h00, na sede cultural, com uma Noite de Fados. Continuam a 1 de fevereiro, precisamente no dia do aniversário, com uma arruada de gaiteiros, a partir das 10h00. À tarde, às 18h00, na capela de Fala, é celebrada missa em memória dos sócios e diretores falecidos e, às 19h00, na sede, a festa continua com um beberete com matiné dançante. Ainda em fevereiro vai realizar-se um Sarau de Ginástica e Patinagem (dia 15, às 21h00, no Pavilhão Gimnodesportivo) e um jantar de aniversário (dia 29, às 20h30, na sede).

O programa festivo prossegue a 26 de abril, às 10h00, no Complexo Desportivo Vigor da Mocidade, com a realização do Torneio Liga Benfica. Em maio as comemorações vão chegar à Baixa, com demonstrações de patinagem artística no dia 2, às 14h00, e de ginástica acrobática, no dia 9, à mesma hora. No dia 16 a festa vai fazer-se, a partir das 15h00, nas Piscinas Luís Lopes da Conceição, em S. Martinho do Bispo, com a realização do 14.º Festival de Natação “A brincar com o Vigor”; e no dia 23, às 19h00, no Complexo Desportivo do clube, os solteiros e casados medem forças dentro de campo, num jogo que promete grandes emoções.

O Complexo Desportivo vai receber ainda, a 13 de junho, às 19h00, a 11.ª Gala do Desporto e, a 3 de outubro, às 18h30, o 2.ª Festival das Sopas.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM