13 de Maio de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

Municípios lançam Agenda Gastronómica para valorizar território

21 de Dezembro 2018

Após declarada uma das “7 Maravilhas de Portugal”, as “Terras da Chanfana” assumem-se oficialmente como marca registada, fruto de tamanha sagacidade ao nível de produtos endógenos e da sinergia de quatro concelhos e entidades parceiras. A Agenda Gastronómica para 2019 foi apresentada pela Dueceira, na semana passada, numa conferência de imprensa que teve como anfitriões a Confraria da Chanfana e o Restaurante Confrade, em Vila Nova de Poiares.

São quatro os concelhos que ativamente cooperaram na valorização territorial, utilizando como mote “uma marca que nos une”, marca essa conspícua para o desenvolvimento e união da região. Estiveram presentes Luís Antunes, presidente da Dueceira (associação de desenvolvimento do Ceira e Dueça) e presidente da Câmara Municipal da Lousã, bem como os autarcas dos municípios de Vila Nova de Poiares, Miranda do Corvo e Penela, respetivamente João Miguel Henriques, Miguel Batista e Luís Matias.

João Miguel Henriques declarou a primeira fase “concluída com sucesso”, referindo-se ao estatuto alcançado de marca registada. “A 2.ª fase será uma dinamização da marca com uma repercussão direta na produção do território”, disse. Luís Antunes acrescentou que “o que motivou a Dueceira foi sobretudo valorizar os recursos endógenos do território. Desde logo a participação (no concurso) conferiu essa notoriedade e valorização acrescida dos recursos mas, claramente, o objetivo era ser finalistas e sendo finalista ser designado como uma das ‘7 Maravilhas à Mesa’. Esse objetivo foi conseguido e nesse sentido, o caminho é continuar a valorizar este trabalho de parceria e envolvimento de agentes públicos e privados”.

Para aguçar a curiosidade, Luís Antunes apresentou a tão aguardada Agenda Gastronómica de 2019, que abre já no dia 8 de janeiro, no restaurante D. Sesnando, em Penela, com o jantar temático de sabores das Terras da Chanfana. Continua com a Semana da Chanfana de Vila Nova de Poiares, que vai decorrer de 11 a 21 de janeiro, nos restaurantes aderentes. Segue-se o Festival Gastronómico da Chanfana da Lousã, de 22 de fevereiro a 3 de março; e a Semana da Chanfana de Miranda do Corvo, de 25 de abril a 5 de maio.

Este calendário integra assim a programação dos vários municípios e entidades parceiras, nomeadamente os restaurantes aderentes. Ainda como novidade, foi anunciada a presença das “Terras da Chanfana” na Bolsa de Turismo de Lisboa, de 13 a 17 de março. “Vamos continuar a fazer a defesa intransigente daquilo que é o nosso produto local de uma forma estruturada, organizada e em conjunto. Ficamos todos a ganhar se definirmos estrategicamente uma promoção territorial dos nosso produtos”, adiantou Luís Antunes.

Os quatro autarcas referiram, também, que outras ações ocorrerão e serão divulgadas oportunamente. Referiram, ainda, que tornar a chanfana um produto certificado é um objetivo definido. Miguel Batista reforçou que a “’Terras da Chanfana’ é uma marca territorial de união e fusão de quatro concelhos”, sendo esta sinergia de valor acrescentado para todos.

Luís Matias disse, por sua vez, que “todos os produtos contribuem para a valorização da região, desde o mel da Lousã, o queijo do Rabaçal o vinho da região, o Licor Beirão entre muitos outros”.

“Trabalhar as cadeias de valor de cada um dos produtos é fundamental. Não há chanfana sem cabras, não há cabras sem pastagens e não há pastagens sem pastores. Os territórios devem promover-se através das sinergias não das divergências, da cooperação e não da divisão”, concluiu.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM