18 de Abril de 2024 | Coimbra
PUBLICIDADE

Mau tempo não atrapalhou Coimbra que entrou em 2023 com muita cor e luz

6 de Janeiro 2023

O fim de ano contava atrair largos milhares de pessoas em Coimbra. O certo é que foi assim mesmo, pois não faltaram motivos para que todos se juntassem naquele que é um dos maiores eventos do ano. Assim, Coimbra foi a cidade escolhida por milhares (muitos vindos de fora) para brindar e dar as boas-vindas ao novo ano. Entre um cartaz diversificado e a animação espalhada pelos vários pontos do “coração” da cidade, foram talvez razões suficientes para uma imensidão de gente se divertir até de madrugada e começar o ano com a paisagem do Mondego e das ruas históricas, onde o calor humano foi superior ao tempo frio. Coimbra parece mesmo ter sido abençoada e deve ter feito um acordo com São Pedro, pois a chuva não visitou a cidade e o evento foi um êxito.

No total, foram mais de oito horas de música consecutiva, três palcos distribuídos pela Baixa, oito concertos, os vários estilos musicais que se faziam ouvir e animavam o povo que dançou, riu, abraçou e passou bons momentos na última noite do ano. E, claro, o entusiasmo que se fez sentir com o espetáculo piromusical que preencheu o céu conimbricense de luz e cor para entrar em 2023.

Os holofotes centraram-se depois nos tão aguardados Gipsy Kings by Tonino Baliardo, membro e fundador da banda, que entoaram os seus temas bem conhecidos após se ouvirem as 12 baladas a assinalar a entrada de um novo ano. Tanto na Portagem, que foi animada pelos djs entertainers Kiss Kiss Bang Bang e pela banda Per7ume, como na Praça do Comércio com o dj conimbricense Code, os Insert Coin e o dj KI-MO, e a Praça 8 de Maio, onde Rui Tomé e Luís Pinheiro, também eles djs de Coimbra, deram vida à música dos anos 80 e 90, a animação fez dançar o público até às seis horas da manhã.

E tudo isto preparado e organizado por uma equipa de mais de 200 elementos que se uniu com esforço e dedicação para que todos pudessem desfrutar em pleno esta data festiva.

Unidades hoteleiras e restauração com lotação esgotada

Mas não foi só a programação eclética e robusta que o Município preparou para abraçar 2023 que se revelou um sucesso, pois Coimbra atingiu na noite de fim de ano uma taxa de ocupação hoteleira a rondar os 100%. De acordo com dados fornecidos à Câmara Municipal pela delegação de Coimbra da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) houve unidades hoteleiras com lotação esgotada, registando-se números superiores antes da pandemia da covid-19.

A AHRESP adiantou ainda que esta “grande afluência à cidade” também se deveu aos programas que os hotéis prepararam para a passagem de ano. A nível de restauração, os números também se revelaram positivos. Segundo esta associação, entre o eixo de Santa Clara, na rua da Sofia, Baixa e Sé Velha a lotação dos restaurantes esteve praticamente esgotada. Também nos restantes estabelecimentos distribuídos pela cidade, a afluência parece ter correspondido às expetativas.

De facto, a noite de passagem de ano em Coimbra revelou-se um evento muito bem-sucedido, em que o mau tempo não atrapalhou nem assustou a cidade de celebrar a entrada em 2023, transformando-a numa discoteca a céu aberto, onde reinou a alegria e boa disposição, misturada com muitos brindes e euforia. Tal não aconteceu, por exemplo, no centro do país (Viseu, Mira, Figueira da Foz) que cancelaram os festejos na sequência da previsão meteorológica que adivinhava vento forte e chuva intensa.

 

 

 


  • Diretora: Lina Maria Vinhal

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM