30 de Maio de 2024 | Coimbra
PUBLICIDADE

LPCC, Universidade e IPO de Coimbra intervêm para ajudar idosos

12 de Abril 2024

O projeto “EU NAVIGATE” foi criado no Canadá e chegou a Portugal para apoiar cidadãos com mais de 70 anos que sofram de doença oncológica e respetivas famílias, residentes no concelho de Coimbra.

O “EU NAVIGATE” faz parte de um consórcio internacional, sendo financiado pela Comissão Europeia.

Bélgica, Holanda, Irlanda, Itália e Polónia também aderiram ao projeto.

Em Portugal, o projeto, que tem a duração de cinco anos, é liderado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC), pelo Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC.NRC) e pelo Instituto Português de Oncologia de Coimbra (IPO Coimbra).

De acordo com Bárbara Gomes, investigadora da FMUC e coordenadora do projeto em Portugal, a iniciativa tem como objetivo o aumento da qualidade de vida “dos doentes oncológicos mais velhos e assumir-se como um suporte social, colmatando a solidão e o isolamento na defesa e autonomia do doente e sua família”.

Os doentes em fase ativa da doença terão a possibilidade de ser acompanhados e apoiados pelos “navegadores”.

Os “navegadores” são voluntários da LPCC, orientados e formados por profissionais de saúde, que dão apoio psicossocial e podem ajudar os utentes a realizar tarefas básicas do dia a dia, como ir ao banco ou à farmácia, dependendo dos cuidados que a pessoa precisa.

Os utentes podem ser inseridos em duas categorias distintas, como “grupo de intervenção e grupo de controlo”. No “grupo de intervenção”, os “navegadores” atribuirão apoio imediato ao doente, enquanto no “grupo de controlo”, o doente recebe apoio passadas 24 semanas.

O “recrutamento de doentes” poderá ser feito por referências emitidas pelo IPO de Coimbra ou por autoreferenciação, quando o doente toma conhecimento do projeto através de diversos meios de comunicação e, mais tarde, entra em contacto com a equipa do “EU NAVIGATE”, revela Margarida Ornelas, presidente do Conselho de Administração do IPO de Coimbra.

Por sua vez, Vítor Rodrigues, presidente da LPCC.NRC, explica que as pessoas que sofrem de doença oncológica devem ser apoiadas consoante o que necessitam e que “o que é mais importante para si hoje?” será a primeira questão colocada ao utente pelo “navegador”.

Quanto ao projeto, o professor afirma ser “pequenino, do ponto de vista quantitativo, mas é um projeto que, provavelmente, nos vai dar resultados muitíssimo bons. Pelo menos é essa a nossa expectativa”.

Até ao final de 2024, Portugal deverá ter 45 “navegadores” e 73 doentes a integrar o projeto, com possibilidade de incluir mais 10 utentes inscritos por autorreferenciação.

 

 


  • Diretora: Lina Maria Vinhal

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM