23 de Setembro de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

ISEC realiza amanhã conferência sobre economia

20 de Março 2019

“Economia Circular – Uma visão para o futuro” é o tema da conferência que se vai realizar amanhã (21 de março), às 14h30, no Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC).

A reunião tem como principais oradores Hugo Roxo, do Bankinter; ex-ministro Carlos Borrego, da Universidade de Aveiro; Alexandra Ferreira de Carvalho, secretária-geral do ministério do Ambiente; José Ávila e Sousa, diretor técnico do Grupo Preceram; e António Oliveira, chefe do departamento de Políticas de Empresa do IAPMEI. Matos Fernandes, ministro do Ambiente, vai ser o último a intervir.

O Plano de Ação para a Economia Circular da Comissão Europeia é o tema central que contempla 50 propostas de ação ou medidas, distribuídas por cinco áreas – a produção, consumo, gestão de resíduos, mercado de matérias-primas secundárias e medidas horizontais para inovação e investimento. As ações propostas visam auxiliar a economia circular em cada etapa, sendo os setores prioritários os “plásticos”, “matérias-primas críticas”, “construção-demolição”, “desperdícios alimentares” e “biomassa”.

“A inovação tecnológica e a indústria 4.0 que se faz em Portugal têm de se orientar, de forma transversal, para a reutilização”, afirma Mário Velindro, presidente do ISEC. Segundo nota divulgada, “Portugal não conseguirá cumprir os níveis de economia circular com que se comprometeu com a Comissão Europeia – nomeadamente a criação de 36 mil empregos diretos e a incorporação de 86 por cento de resíduos na economia até 2030 – se não introduzir mais engenharia, mais inovação tecnológica e melhor logística, nos novos negócios de reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e de energia”.

Para o presidente da ISEC, “Portugal tem de introduzir mais tecnologia e novos modelos de negócios, mais indústria 4.0, mais desmaterialização de processos, mais sistemas produto-serviço e mais plataformas colaborativas e de partilha”. Mário Velinho adiantou ainda que o processo circular de Portugal exige que engenheiros e outros técnicos do setor elaborem produtos com maior potencial para serem reutilizados. “Esta prioridade é política, naturalmente, mas tem também de ser empresarial. Ou seja, tem de começar logo no ensino superior, que é onde são formados os futuros quadros das empresas”, acrescentou.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM