24 de Setembro de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

LUCINDA FERREIRA

Falta Perdoar…

20 de Março 2020

O perdão é essencial para todos nós! Sem vivenciarmos profundamente este sentimento, não podemos caminhar com o peso do ressentimento. Das mágoas e das más recordações. Com as doenças que daí advêm. Com essa amargura e peso que ensombra toda a existência de qualquer um, não se consegue avançar.

Limpar. Limpar. Limpar é preciso? SIM!!!!. Rapidamente. Já! Agora mesmo. Mas como é que isso se passa? Primeiramente, quando alguém o ofende e não perdoa, o outro já “está numa boa” e você ainda está amarrado nessa dor. Isto é, você bebe o veneno para o outro morrer… Não há maior engano. Portanto, limpe.

Basicamente ninguém consegue perdoar a outrem, se não se tiver sentido perdoado profundamente e sem culpa!

Tem que se amar a si mesmo pelo que é e pela mudança do que se esforça para ser! Quando e onde é que se obtém esse sentimento de libertação? De perdão? Apenas junto de Quem o pode perdoar. E quem é que tem o poder de perdoar pecados? Aquele que esteve vivo entre nós. Aquele que conviveu com os humanos, entre nós há 2020 anos!

Aquele que morreu por cada um de nós individualmente, leu e ouviu bem. Morreu por cada um de nós, particularmente. Por si. Por mim. Não duvide! E por que é que morreu? Para reatar. Restaurar a ponte inicial entre o Criador e o Homem transgressor.

Aceitar com gratidão. Humildade e a certeza que Ele o ama como você é, como escolheu ser. Aquele que o ama incondicionalmente e por isso limpa toda a sua culpa, quando sinceramente você percebe o que acabo de lhe dizer. Quando humildemente reconhece que precisa mudar. Assumir a sua essência sem rebeldia. Sem teimosia orgulhosa e… Menos inteligente. Indisciplinada contra si mesmo.

A partir daqui, é para recomeçar tudo. Dar uma reviravolta. Uma outra direção à sua vida, reconciliado consigo mesmo. Com Deus e com o Universo. Um encontro íntimo, frente a frente, sem barreiras, nem reservas, com Aquele que o livra do peso e da dor da separação da Luz, ocasionada pelas faltas e transgressões, à lei da nossa essência.

Adeus medos, perante a entrega em coerência e verdade, das nossas vidas. Tudo aclarado, livres, vamos agora poder perdoar ao nosso irmão, sem o julgar, pois como julgarmos, assim seremos julgados.

A Palavra de Deus não engana, amigos! A quem iremos, se só Ele tem Palavras de vida eterna?! Falta perdoar, porque isso é o essencial. Os alicerces de todo o resto. Limpar. Limpar. Limpar

Concluindo: Para perdoar é preciso contornar, sentir todos os lados da questão. Ninguém é capaz de perdoar, se não se perdoar a si mesmo. Mas como pode perdoar a si mesmo? Tem que ter a certeza, sentir que foi perdoado, liberto de todas as suas culpas. Isso acontece, ao ser desobrigado. Ao serem desatados todos os nós, por Deus, pelo Universo, pela sua consciência, pelo que for essa Luz que guia a sua vida!

Pode dizer que perdoou. Pode estar convencido que perdoou. Dizer até que perdoou e agir, como se tivesse perdoado, mas se profundamente não limpar primeiro, tudo o que em si foi culpa e se não se sentir profundamente perdoado pelo grande Poder que o transcende, tudo será uma fantasia. Um engano.

A coisa é tão séria que é a base de todo o resto da existência. O pano de fundo que condiciona tudo, dentro e fora do ser humano!Veja então como tem que levar muito a sério o PERDÃO, para dar a volta à raiz e ao sentido da sua natureza. Da sua alma, neste plano!

Para dar essa reviravolta e aceitar incondicionalmente o ter sido perdoado, deve perceber também que tudo o que se fez aos outros ou eles lhe fizeram, faz parte do plano de vida, pelo que tinha que passar, pelo que passou, para ser quem hoje é, com esta consciência de vir aqui ler isto e até estar interessado em evoluir.

Saber confiadamente que deve perdoar. Que só tem a ganhar com isso! Afinal a nossa passagem pela Terra, não é um acaso. É algo divino. Obedece a um plano e inteligente, onde nada acontece por acaso! No final, tudo se de encaixa. Sem entendermos isto, andamos de roda, mas nunca chegamos ao perdão!

Por outro lado, como poderia aliviar a sua culpa, se você mesmo, achar que não merece perdão? Se, se sente restringido e longe do halo de Deus? Impossível! Sentir no mais fundo do seu coração que foi perdoado pelo sacrifício amoroso e total de Jesus Cristo, é libertador e por isso, de tal força necessário para cobrir de amor os outros, com a mesma força desta dádiva.

Encher de amor todos os que cruzamos, com esta mesma atitude compassiva, pela sua aceitação incondicional pelo que cada um escolheu ser, sem julgamento!

Portanto, queridos leitores amigos, perdoar é um exercício fácil, mas que tem que passar pela aceitação do seu próprio perdão íntimo, concedido por Quem morreu, para reacender a luz em nós, como seres onde existe a centelha divina dessa mesma divindade!

Vamos todos a caminho, irmãos. Força! É bom libertar-se de arreios. Pesos terríveis. Grilhões invisíveis que abandonamos, sempre que percebermos como funciona o processo da vida. Alargarmos a nossa consciência! Sempre que usarmos a nossa vontade. A liberdade da nossa entrega, na mão de Quem nos concedeu a Vida! Afinal o perdão diz mais sobre si do que sobre a atitude do outro…


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM