6 de Dezembro de 2019 | Coimbra
PUBLICIDADE

SANSÃO COELHO

Esqueceram a Regionalização?

22 de Novembro 2019

Em resposta aos regionalismos existentes importa acelerar o processo de REGIONALIZAÇÃO DO PAÍS. O que se preconiza, de um modo geral para o Continente, é uma regionalização a seguir as passadas e os limites das Comissões de Coordenação: NORTE, CENTRO, LISBOA e VALE DO TEJO, ALENTEJO e ALGARVE. Tal como a REGIONALIZAÇÃO desejada, importa dar força e meios diversos às COMISSÕES INTERMUNICIPAIS porque é um facto que desde a sua fundação Portugal tem sido caraterizado pelo MUNICIPALISMO baseado em órgãos de gestão próximos das populações: os MUNICÍPIOS. Municípios e Grandes Regiões a alavancar Portugal. Gostei da palavra ALAVANCAR e o leitor? A palavra está na moda, não é?

FILARMÓNICA DO ALQUEIDÃO COM NOTAS MÁXIMAS

No passado domingo decorreu no Centro de Artes e Espetáculos da vizinha Figueira o último espetáculo da série “ORQUESTRAE”. Diversas Filarmónicas sob a proposta do município têm apresentado programas interessantíssimos e criativos sendo que a âncora (FILARMÓNICAS) tem demonstrado uma performance notável. É difícil encontrar no país um concelho tão vigoroso como o da Figueira em quantidade e qualidade de Filarmónicas, estes conservatórios populares frequentados cada vez mais por gente jovem. O humorista BRUNO NOGUEIRA e a cantora dos CLÃ, MANUELA AZEVEDO, que será sempre um emblema da Universidade de Coimbra (licenciou-se em Direito na prestigiada Faculdade coimbrã), acompanhados pela FILARMÓNICA DO ALQUEIDÃO sob a direção do Maestro CELSO RAMA, proporcionaram um espetáculo inesquecível (DEIXEM O PIMBA EM PAZ) pela irreverência, talento vocal e filarmonia sublime que se conjugaram em palco. Devia ser obrigatório repetir este espetáculo e apresentá-lo, por exemplo, no Convento de S. Francisco em Coimbra ou/e numa grandiosa sala de espetáculos de Lisboa e/ou Porto.

EIXO CULTURAL COIMBRA-FIGUEIRA

Este eixo COIMBRA-MONTEMOR-FIGUEIRA devia ser exponenciado em termos culturais. Há produções giras que passam numa destas localidades, mas que não entram nas outras e é pena porque seria possível ampliar PÚBLICOS e trabalhar em REDE. Aliás, as produções culturais de Coimbra são, por norma, diferentes das que enformam a Figueira e vice-versa. Rede e sinergias são palavras da moda, tanto como está a cultura. A palavra EXPONENCIADO atrás utilizada é que não está dicionarizada, mas os leitores aceitam-na, tenho a certeza da vossa gentileza e com o contributo do verbo EXPONENCIAR porque nós, falantes desta bela língua, também podemos ser um pouco criativos. Mudam-se os Tempos, Aumentam as Palavras da Nossa Língua…

JOSÉ MÁRIO BRANCO

Sou um admirador da obra de JOSÉ MÁRIO BRANCO que nos deixou apenas fisicamente no passado dia 19 porque a OBRA…essa VAI PERDURAR. Rodei muitas das suas músicas com frequência e não tantas as que desejaria ter passado. O irmão mais velho do ZÉ MÁRIO BRANCO foi nosso companheiro nas manhãs da ANTENA 1: era o jornalista ANTÓNIO JORGE BRANCO que já nos deixou também há alguns anos. De vez em quando passavam por Coimbra por motivos familiares. Recorde-se, contudo, que o cantautor JOSÉ MÁRIO BRANCO frequentou no início dos anos 60 a Universidade de Coimbra. Natural do Porto a “marca da Escola de Coimbra” estava no âmago da sua criteriosa produção e interpretação musical. Um dos maiores…


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM