13 de Maio de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

LUCINDA FERREIRA

Em nome de quê…

17 de Janeiro 2020

O leitor tem consciência de quem é, na sua essência mais pura? Questiona-se intimamente sobre qual é o propósito da sua existência? A Finalidade da sua vida? Por que razão existe?

Nasceu. Cresceu. Foi à escola. Tirou um curso. Arranjou um emprego Casou-se. Comprou uma casa. Teve filhos. Cresceram. Tiraram um curso. Casaram. Arranjaram um emprego ??!! Etc… com mais ou menos acidentes de percurso… Por que será tudo isto assim? Pelo caminho sofreu pressões de toda a ordem: na família. No casamento. No trabalho. Na sociedade. Com os filhos. Com os colegas.

Por que será que assim foi? Tudo isso por causa do dinheiro para sobrevivência e ambição desmedida. Insaciável. Insatisfeita, por vezes… Tudo isso, por que razão terá sido? Fazer o que não dá prazer, num trabalho constrangedor? Aguentar autoritarismo coativo e castrador da personalidade?

Por que motivo terá de ser assim?

E no casamento, “engolir sapos vivos”, durante anos e anos, numa guerra surda, desgastante, porque um tem que mandar e o outro ser submisso, para a relação se manter. O outro tem que aceitar tudo? Em nome de quê?

E mais tarde os filhos e até, ainda bem pequenos, apercebem-se. Aproveitam os conflitos entre os pais, sendo cruéis. Exigentes, para os progenitores serem aquilo que os tiraninhos esperam? E por que razão, tem mesmo que ser assim?

Gostam de viajar, mas inibem-se de o fazer. Querem valorizar-se e fazer outro curso, também não fazem. Gostariam de distrair-se um pouco, saudavelmente, mas não o fazem. Precisam descansar, porque têm dois trabalhos, mas não têm tempo para se aliviar um pouco do stress.

Qual a razão? Acorrentados a uma vida sem sentido. Infrutífera. Sem saída. Sem realização alguma à vista, numa rotina entediante. Consumindo a paciência. Sem sentido de realização condigna, com que se esperava.

Quais serão os motivos disto? Sonhos. Vocação. Satisfação de se sentir pleno e aceite, nem pensar. Então tudo isto, em nome de quê? Nunca terá parado para pensar? Para dar um fim a estas situações agressivas. Indesejáveis. Frustrantes. De inútil desgaste?

Em nome de quê, tanto tempo perdido? Um vida afinal…

Pare hoje. Pare agora mesmo! A sua essência grita! Clama para lhe falar do sentido da sua vida, , pois nasceu para ser feliz! Ser vendeiro e respeitoso, consigo mesmo, em primeiro lugar, dizendo sempre a sua verdade calma e claramente. Lutar por ela! Veja como está a sua autoestima, antes de tudo. Quem não se ama a si mesmo, como pode amar outrem de verdade?!

Pergunte-se o que tem que fazer, para não deixar encolher mais, a sua ESSÊNCIA!

Viver os seus sonhos mais lindos e válidos, sem perder mais tempo!

Pergunte-se, a si mesmo, qual é o seu ideal maior? É algo eterno e válido? Era bom que assim fosse.

Em nome de quê, há-de continuar a não perceber, que se Quem lhe dá a vida, o ama sem limite, para poder sentir esse amor e o passar aos outros.!De que está a espera?

“O amor é a base, a essência e a finalidade da existência. Só por meio do amor conhecemos a nós mesmos e compreendemos o mundo e a vida.” ― Claude Adrien Helvétius.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM