20 de Outubro de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

LUCINDA FERREIRA

Elogio

29 de Janeiro 2021

Tudo o que me dá mais prazer, é elogiar.

Hoje, este artigo é um desabafo. Um pedido e um elogio.

Existe em Coimbra, uma rua sem saída, muito calma. Isso atrai, durante a noite, carros que vem para ali com propósito de descansar (…) ou não. Mas para além disso, há gente na rua muito cedo, até muito tarde… E porquê? Porque é um sítio “atraente” para trazer o cãozinho a passear.

E vem gente de longe, das outras ruas, por que o WC dos animaizinhos, acaba por ser por aqui, uma espécie de caixote do lixo da zona!

Pois, então hoje, quero louvar, agradecer e recordar, que aquilo que não queremos à nossa porta, não devemos querer para os outros, à sua porta.

Trazer o animal pela trela e parar, à porta das pessoas, nos sítios, menos convenientes, por onde se tem que passar, para entrar em suas casas, para o animal deixar o seu “presente”, “pois o cãozinho tem que fazer onde lhe apetece” – respondem… – é coisa vulgar.

Esquecem estas damas e cavalheiros que há normas para se viver em sociedade, pois não estamos no pinhal, nem no campo.

Já teve que ser legislado, devido à falta de princípios elementares de convívio e respeito pelo outro, a prática obrigatória de limpar os excrementos caninos, quando se passeia na via publica o cãozinho…ou o canzarrão…

Recolher os excrementos do seu animal, apanhar esses presentes, para saquinho plástico, que o dono do cãozinho sempre se deve fazer acompanhar, (não para mostrar que se é asseado e se respeita a Lei, mas  para apanhar efetivamente os excrementos, que não devem espalhar à sua passagem e enfeitar a rua , por todo o lado, de modo que até revolta, os menos asseados que aí vivam, pois todos somos responsáveis pela limpeza da via pública!

É bem verdade que tudo o que pensamos, falamos ou fizermos, são o nosso cartão de apresentação e esta atitude, mostra como devem viver nas suas casas, tão pouco asseados e sobretudo, com falta de respeito, pelos outros, que não se sentem confortáveis, com tanta falta de higiene, à sua volta.

O que é por fora, mostra o que vai por dentro, incluindo desrespeito pela Lei e pelo direito à limpeza das pessoas que vivem, numa rua que não é a sua, pois à sua porta, isto não acontecerá…

O percurso junto ao cemitério da Conchada é outra latrina nojenta de cães, também de grande porte (…) cujos proprietário vão até aí com seus animais, mas nunca limpam os presentes, que deixam à sua passagem.

Portanto aos que, quiçá, alguma vez, se dignaram apanhar os dejetos dos seus animais, o nosso elogio e louvor!

Aos que ainda não aprenderam nem perceberam, como isso tão mal os coloca, solicita-se, que não devem querer para os outros, o que não gostariam para si!

Recordar, que têm a obrigação e o respeito pelo legislado, de limpar tudo o que seja o seu rasto, na sua passagem diária, com o seu animalzinho, para manter as ruas limpas, até por uma questão de saúde pública e da mais elementar higiene, para quem vive em sociedade!

Lembrando-se que se for fotografada ou apanhada em flagrante, a coima, bendita multa, pode ser alta!

E se as taxas de lixo, vão aumentar, e as pessoas são obrigadas a pagar, sem se poderem defender, aqui terão uma grande fonte de receita, implicando também, a responsabilidade da vigilância desta situação tão importante para a saúde pública, dando o tom da autoridade que nos governa!

Ou não será assim?


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM