21 de Junho de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

Coimbra evoca 50 anos da morte de José Régio

4 de Outubro 2019

O cinquentenário da morte de José Régio vai ser assinalado em Coimbra até ao final de 2020. Apresentado na sexta feira, o programa inclui os mais variados eventos que enaltecem a vida e obra do escritor que, apesar de ter vivido em Coimbra apenas no seu tempo de estudante, também deixou a sua marca na cidade.

Vasto e multifacetado, o programa pretende, como explicou a diretora regional da Cultura do Centro, Suzana Menezes, “evocar a memória e ampliar o reconhecimento público desta figura ímpar da cultura portuguesa”, que se distinguiu como romancista, novelista, contista, poeta, dramaturgo, ensaísta, cronista, crítico, memorialista e, ainda, historiador da literatura.

Exposições, conferências, iniciativas de rua, eventos escolares, mesas redondas, cinema, poesia, visitas guiadas e a reedição de 15 obras do escritor, são alguns dos eventos que integram a programação que resulta de uma parceria entre várias entidades nacionais, nomeadamente o ministério da Cultura; as direções regionais de Cultura do Norte, Centro e Alentejo; os municípios de Coimbra, Portalegre e Vila do Conde; o Centro de Estudos Regianos de Vila do Conde e a Universidade de Coimbra (UC).

Os eventos vão decorrer em Coimbra mas também em vários pontos do país. Na cidade, a UC propõe, como anunciou o vice-reitor Delfim Leal, duas iniciativas – a realização de uma exposição sobre a sua passagem pela cidade e que vai “visitar também as edições do escritor”, procurando “preservar a sua memória”; e de uma “jornada regiana, para dar uma centralidade elevada a um autor que está mais arredado do público e dos investigadores”.

José Régio vai estar também em destaque na programação da Câmara de Coimbra. Carina Gomes, vereadora da Cultura, sublinhou que o escritor é uma figura do país mas que teve grandes ligações a Coimbra, procurando o programa evidenciar a sua passagem pela cidade. Um jantar de sabores na Casa da Escrita; um espetáculo de fado e da canção de Coimbra, na Praça 8 de Maio, onde será interpretado o “Fado português”, com letra do escritor; uma conversa na Casa Museu Miguel Torga; e uma exposição na Casa da Cultura são algumas das iniciativas programadas. De destacar ainda a visita guiada que evoca a sua passagem pela cidade, num roteiro que se estreou na sexta feira e que percorre várias zonas da cidade, começando na Baixa e passando por alguns dos seus cafés, subindo depois à Alta.

Em relação às obras a reeditar, estão praticamente todas indisponíveis no mercado. De acordo com Suzana Menezes, os municípios de Vila do Conde, Coimbra e Portalegre vão reeditar cinco obras cada (em parceria com a editora Opera Omnia, detentora da maior parte dos direitos sobre a obra de José Régio), tendo sido já editadas duas.

Nome literário de José Maria dos Reis Pereira, José Régio nasceu a 17 de setembro de 1901 em Vila do Conde, onde acabou por falecer a 22 de dezembro de 1969. Licenciou-se em Coimbra, em Filologia Românica, tendo seguido depois para Portalegre, onde deu aulas durante mais de 30 anos.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM