18 de Abril de 2024 | Coimbra
PUBLICIDADE

Coimbra defende que o MetroBus sirva Adémia e Pedrulha na extensão a Cantanhede

2 de Dezembro 2022

A Câmara Municipal de Coimbra nada tem a opor à extensão do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM) a Cantanhede, mas acrescenta uma sugestão. Conforme referiu a vereadora Ana Bastos (com o pelouro dos transportes), na reunião de segunda-feira, “importa encontrar um traçado que permita servir, em simultâneo, o norte do concelho de Coimbra, como é o caso da Pedrulha e Adémia”.

“Embora esta opção alternativa de traçado [de ligação a Cantanhede] envolva uma ligeira extensão do percurso, o aumento significativo de captação de utilizadores aumenta o nível de atratividade do sistema, afigurando-se como um contributo essencial a ultrapassar a debilidade, apontada pelo estudo, associada ao mérito na dimensão ‘económica’ e a viabilidade da linha”, justificou a vereadora da Câmara de Coimbra.

Na segunda-feira (28), o Executivo conimbricense aprovou um parecer favorável ao relatório final do estudo encomendado pela CIM-RC de possíveis expansões do SMM, que se seguirão depois de o MetroBus começar a funcionar em 2024 e servir Coimbra, Miranda do Corvo e Lousã.

Em relação à extensão proposta para Condeixa-a-Nova, já prevista no Plano Ferroviário Nacional, a Câmara de Coimbra considera que “responde genericamente” às necessidades de outras zonas urbanas de Coimbra, algo que não acontece no traçado proposto para o eixo de Cantanhede.

Para além do já referido (o MetroBus servir Adémia e Pedrulha), a Câmara de Coimbra entende, também, que uma solução alternativa do traçado deveria ainda “obrigar a refletir sobre a possível afetação do atual canal da linha do Norte para o prolongamento do SMM à zona norte/Cantanhede e o consequente desvio da linha da alta velocidade/linha do Norte para oeste”, conforme referiu. A vereadora Ana Bastos.

O parecer do Município de Coimbra defende, ainda, que será importante reforçar a expansão do serviço MetroBus na cidade, nomeadamente com ligação ao Bairro Norton de Matos e Polos I e II da Universidade de Coimbra.

O estudo encomendado pela CIM-RC concluiu que as extensões do SMM a Cantanhede e Condeixa-a-Nova são aquelas que apresentam mais benefícios, apontando vários problemas em possíveis ligações a Arganil, Góis e Penela, para além de descartar uma via direta para a Mealhada, por esta já estar servida pela ferrovia.


  • Diretora: Lina Maria Vinhal

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM