24 de Setembro de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

Cidadãos por Coimbra defendem plano de arborização da cidade

5 de Abril 2019

O movimento Cidadãos por Coimbra (CpC) defende a elaboração e a execução urgentes de um plano de arborização da cidade, que seja encarado como “uma causa” e não como “um adorno mediático”.

O movimento promoveu no sábado, em frente ao Mercado Municipal D. Pedro V, uma ação de sensibilização ambiental focada, precisamente, na necessidade de “arborização da cidade”, tendo sido apresentado nessa ocasião o documento “10 motivos para plantar e manter árvores nas cidades e o diagnóstico para Coimbra”. Para os dirigentes do CpC, trata-se de “um valioso contributo científico e político, preparado ao longo de cinco meses e que mereceu contributos de muitas pessoas, para a urgência de alterar e inverter o caminho de desastre climático que vem mobilizando crescentemente as atenções e energias dos nossos concidadãos”.

O coordenador do movimento, Jorge Gouveia Monteiro, realçou que, em Coimbra, “o problema não se mede apenas pelos danos causados pela [tempestade] Leslie e instalou-se ao longo das últimas décadas: o verde urbano diminuiu drasticamente”. No seu entender, a cidade tem vindo a “perder árvores há muitos anos”, por “abate e não substituição, por incumprimento dos promotores de loteamentos e falta de fiscalização camarária quando da receção das obras, até por escolha de espécies não adequadas aos locais”.

Gouveia Monteiro defende que “é urgente um plano de arborização da cidade, aberto à participação de todos, com as juntas de freguesia, as empresas do ramo, os cidadãos e cidadãs voluntários/as que quiserem integrar-se nas equipas”. Anuncia, por isso, que vai propor o agendamento da discussão na Assembleia Municipal do documento que visa a arborização da cidade. Executado pelo Grupo de Trabalho Recursos Naturais, Ambiente e Energia do CpC, coordenado por Anabela Marisa Azul, bióloga especializada em ecologia e investigadora do Centro de Neurociências e Biologia Celular e do Instituto de Investigação Interdisciplinar da Universidade de Coimbra (UC), e por Adelino Gonçalves, professor do Departamento de Arquitetura da UC, o documento “10 motivos para plantar e manter árvores nas cidades e o diagnóstico para Coimbra” aponta vários exemplos de “desarborização massiva de ruas e avenidas em Coimbra” e defende que este problema deve impulsionar “a oportunidade singular de repensar uma cidade verde que possa ter um índice de qualidade do ar com a classificação de ‘muito bom’ na maior parte do ano”.

Tal como o nome indica, o documento apresenta “10 motivos para plantar e manter árvores nas cidades”, motivos esses que assentam, por exemplo, na qualidade do ar, barreira ao som e ao vento, sombra, ventilação e poupança de energia, saúde e bem-estar social e cultural, qualidade de água e regulação dos sistemas hídricos, retenção de carbono e estética, entre outros.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM