6 de Maio de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

Cantanhede tem a água mais barata do distrito de Coimbra

9 de Abril 2021

O Município de Cantanhede é o que tem as mais baixas tarifas de abastecimento de água, saneamento e resíduos sólidos urbanos, em todo o território do distrito de Coimbra, da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM-RC) e também comparativamente a três concelhos do distrito de Aveiro com os quais faz fronteira. Em 2020, para um consumo doméstico de 120 metros cúbicos (m3) de água, a despesa anual das famílias do Município a esse nível foi, em média, de 216,49 euros, valor bastante inferior aos da esmagadora maioria dos 22 municípios considerados, dos quais o mais elevado se situou nos 390,95 euros, ou seja, 80,59 por cento superior ao praticado na autarquia cantanhedense.

Estes dados constam de um estudo da Deco/Proteste em que a INOVA-EM surge como entidade gestora de serviços de abastecimento de água, saneamento e resíduos sólidos urbanos com tarifas substancialmente inferiores às de todas as suas congéneres a operar na região. Além da já referida situação de 80,59 por cento a mais que o valor cobrado em Cantanhede pelo consumo anual de 120 m3 de água, mais de metade dos 22 concelhos sujeitos a análise pratica preços 30 por cento superiores aos da INOVA-EM, havendo somente três casos em que a variação não chega aos 10 por cento.

O tarifário da INOVA-EM em 2020 mantém-se este ano, apesar da Entidade Reguladora de Águas e Resíduos Sólidos (ERSAR) ter recomendado a sua atualização, “de acordo com a metodologia definida, sem que estejam previstas quaisquer exceções a esse procedimento”. De facto, a Câmara Municipal e a administração da empresa entenderam que, na atual conjuntura, faz sentido prescindir dessa atualização, não apenas para defender e salvaguardar os interesses dos consumidores, mas também para mitigar, tanto quanto possível, o impacto económico e social da pandemia. De referir que a empresa municipal pratica uma tarifa social para as famílias carenciadas, a qual prevê a isenção das taxas fixas e o alargamento do volume de água faturado no primeiro escalão, que é de 15 m3 e não os cinco m3 da tarifa normal, o que pode representar descontos de 44 por cento nos consumos da ordem dos 10 m3 mensais.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM