21 de Junho de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

Cantanhede aprova orçamento superior a 26,6 milhões de euros

26 de Outubro 2018

O orçamento da Câmara Municipal de Cantanhede para o próximo ano ascende a 26.626.069 euros, mais 8,42 por cento do que o do ano corrente. O documento foi aprovado, por unanimidade, na terça feira, na reunião camarária, juntamente com as Grandes Opções do Plano, ficando agora os dois documentos a aguardar o resultado da votação da Assembleia Municipal, a realizar no próximo mês de dezembro.

Do valor total orçamentado, 11.579.528 euros destinam-se a despesas de capital, o que corresponde a um aumento de 14,42 por cento relativamente a 2018. Esta opção reflete a intenção do executivo camarário, liderado por Helena Teodósio, em acentuar o investimento. A corroborar esta leitura está a perspetiva de um crescimento das despesas de capital três vezes superior ao das despesas correntes, que está estimado em 4,21 por cento, traduzindo assim uma poupança de 4.833.034 euros que será diretamente canalizada para a execução de infraestruturas e equipamentos coletivos.

Helena Teodósio considera que os valores propostos para “uma nova etapa do processo de desenvolvimento económico e social do concelho refletem a aposta da autarquia na dinamização dos fatores que concorrem para a elevação dos padrões de qualidade de vida dos cidadãos, mas sem descurar nunca o realismo e a sensatez que se exige a quem tem a responsabilidade de gerir e administrar a coisa pública”.

A autarca destaca “o importante conjunto de investimentos a realizar, quer em infraestruturas e equipamentos coletivos, quer ao nível das ações imateriais” que o Município se propõe desencadear no decurso do exercício económico de 2019, no âmbito de “um enunciado ambicioso e coerente face aos objetivos estabelecidos e às perspetivas de arrecadação das receitas indispensáveis para suportar os encargos”.

O orçamento para 2019 mantém o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) nos 0,38 por cento e continua a beneficiar as famílias, assegurando a redução de 20, 40 ou 70 euros para as famílias que tenham, respetivamente, um, dois ou três ou mais dependentes a cargo. O documento continua a beneficiar também as pequenas empresas, através da isenção da taxa de derrama aos sujeitos passivos com um volume de negócios que no ano anterior não tenha ultrapassado os 150.000 euros.

No que concerne às Grandes Opções do Plano, têm expressão assinalável várias rubricas, entre as quais as ações de regeneração urbana previstas no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) de Cantanhede, a aposta na crescente qualificação das condições do processo ensino/aprendizagem de toda a rede educativa, a valorização da base económica para atração de investimentos empresariais, com destaque para conclusão das obras de ampliação das infraestruturas nas zonas industriais de Cantanhede e Tocha, bem como a aquisição de terrenos para a ampliação da zona industrial de Cantanhede e da área de expansão do Biocant Park.

Engloba ainda outros investimentos de valorização do território, seja com empreitadas promovidas pela Câmara, seja através parcerias com as juntas de freguesia.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM