13 de Julho de 2020 | Coimbra
PUBLICIDADE

Câmara de Coimbra vai recuperar jazigo municipal do Cemitério da Conchada

28 de Maio 2020

A Câmara Municipal de Coimbra vai abrir um concurso público para a recuperação do jazigo municipal com columbário do Cemitério da Conchada, bem como os respetivos espaços exteriores. O investimento previsto é superior a 580 mil euros e visa a requalificação do edifício, composto por três corpos (o corpo principal e dois corpos laterais) que, de um modo geral, se encontram em elevado estado de degradação. De acordo com a autarquia, esta intervenção visa, ainda, reajustar as funcionalidades do edifício e incluir novas valências.

A Câmara considera que esta é “uma intervenção de grande sensibilidade por se tratar de um edifício que faz parte de um conjunto em vias de classificação (o Cemitério da Conchada) e pela necessidade de se acautelar a transladação e guarda das urnas existentes em instalações provisórias e o seu regresso ao jazigo municipal, após a conclusão dos trabalhos”. A proposta de abertura do concurso público já foi aprovada na última reunião ordinária do executivo da autarquia.

O edifício a requalificar é composto por um corpo principal e dois corpos laterais, sendo que o da direita tem rés-do-chão, cave e subcave e o da esquerda tem rés-do-chão e cave. Existe ainda uma construção anexa ao corpo lateral direito, implantada à cota da cave e com um único piso.

O objetivo da intervenção passa, pois, por requalificar o espaço, reajustar as funcionalidades do edifício e incluir novas valências. O corpo principal deverá passar a ter, na zona do rés-do-chão, estantes em betão para urnas e uma capela/abside com cruz e mesa de depósito pontual de urnas que aguardam cerimónia. Já o corpo lateral direito albergará a capela, com guarda vento em madeira, gradeamento em ferro forjado e altar de talha dourada, sendo que atrás da capela ficará a dependência da Sacristia e o espaço de selagem das urnas e arrumo das carretas”, explica o Município.

No rés-do-chão do corpo lateral esquerdo ficará o columbário (depósito dos potes das cinzas decorrentes da cremação) e a valência de Arquivo Morto administrativo será deslocalizada para a cave. Será ainda necessário realojar os arrumos e espaços dos funcionários, onde ficam as ferramentas como pás e picaretas, vassouras, baldes e mangueiras, que vão passar a funcionar no exterior, num novo espaço coberto, que servirá ainda para estacionamento de quatro viaturas de trabalho. A casa exterior existente será também intervencionada de forma a ter condições para funcionar como espaço/sala do pessoal.

O concurso público para esta empreitada tem um preço base de 580.738,28 euros (com IVA incluído) e um prazo de execução de 300 dias.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM