16 de Setembro de 2021 | Coimbra
PUBLICIDADE

CLARA CORREIA

Bem-vindos à minha Holanda!

17 de Janeiro 2020

Queridos leitores, façam o favor de apertar os cintos de segurança porque vamos viajar para a (minha) Holanda…

Ontem… a minha paixão pela Holanda é antiga, nasceu em 1992, e tenho que agradecê-la a uma amiga e… ao Programa Erasmus. No ano letivo de 91/92 estudei em Glasgow, na Escócia, e a minha amiga estudou em Tilburg, na Holanda. Aquele foi um ano académico de inesquecíveis descobertas e de construção de memória(s) da Luxo. A minha amiga viveu, naquele ano letivo, alguns meses em casa de um casal holandês, que não tinha filhos e que (também) me acolheu, na Páscoa de 1992. Quando cheguei ao aeroporto de Amesterdão, e fui recebida pelo “pai holandês” rapidamente percebi que aquele “pai” era muito diferente dos “pais portugueses” que eu conhecia. O “pai holandês” tinha um espírito muito jovem e com ele conversava-se sobre tudo… Naquele ano passei na Holanda uns dias muito giros e… fartei-me de andar de bicicleta!!! Na minha primeira visita à Holanda gostei das pessoas… gostei das flores… gostei dos diques… gostei do Estádio do Ajax… gostei do hambúrguer e da coca-cola. (Devo ser das poucas pessoas do planeta que sabe o local, o dia e a hora em que entrou pela primeira vez num McDonald’s: Tilburg, 15 de abril de 1992). Aquela primeira viagem à Holanda, há quase 30 anos, foi para conhecer um país novo e fiquei logo com a certeza que ali voltaria, voltaria, … voltaria. Assim foi… nos 15 anos seguintes voltei lá muitas (e muito boas) vezes!!!

Hoje… em dezembro regressei à Holanda, onde não ia há demasiado tempo. Depois de ter visitado muitos países e de ter vivido em alguns, a Holanda continua a ser um dos meus países-paixão, onde (ainda) poderia viver. Aterrei, mais uma vez, em Amesterdão e fiquei muito impressionada com a facilidade (e conforto) para ali apanhar um comboio, que me levaria para Haia, a capital do país. Cheguei ao meu destino no final do dia e fiquei num hotel no centro da cidade, bem pertinho da estação. (Continuo a acreditar que é fundamental os comboios chegarem aos centros das cidades!!!). Estávamos no final do ano, a noite era muito fria e (quase) só circulavam bicicletas. Praticamente não há carros no centro da capital holandesa… sim, é possível! O dia seguinte foi trabalhado nas instalações de uma grande empresa, a cerca de 30 minutos de Haia. O edifício daquela empresa, para grande comodidade das centenas de pessoas que ali trabalham, tem uma estação de comboios. Andei mais vezes de comboio em dias passados na Holanda do que em anos vividos em Portugal… uma das coisas de que mais gostei foi das carruagens de silêncio, onde não se escuta qualquer barulho. Naquelas carruagens pode-se descansar, ler ou trabalhar, com uma tranquilidade que, infelizmente, não é possível encontrar nos transportes públicos portugueses. O silêncio continua a ser a mais afinada música da minha vida!!!

Amanhã voltarei à Holanda… voltarei a andar de bicicleta… voltarei a comer um hambúrguer e a beber uma coca-cola…. voltarei a cheirar as lindas flores… voltarei a admirar os diques… voltarei a escutar o silêncio e… voltarei ao Ajax Arena, agora conhecido como Johan Cruijff Arena, desta vez para ver o jogo da Champions League entre o Ajax e a Académica!!!

Serei sempre (muito) agradecida ao Programa Erasmus por me ter dado o mundo e… por me ter dado a Holanda!!!

Queridos leitores, sejam muito bem-vindos à minha Holanda!!!


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM