19 de Dezembro de 2018 | Coimbra
PUBLICIDADE

Caminhada contra o cancro une sete cidades do Centro do país

4 de Outubro 2018

Coimbra, Aveiro, Castelo Branco, Covilhã, Guarda, Leiria e Viseu são as sete cidades do Centro do país que vão participar, no sábado(6 de outubro), a partir das 15h00, nas caminhadas “Pequenos Passos, Grandes Gestos”, que visam sensibilizar a comunidade para a importância da prevenção precoce do cancro da mama.

Promovidos pelo Movimento Vencer e Viver (MVV), do Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (NRC-LPCC), estes eventos deverão contar com a participação de mais de 10.000 pessoas. De acordo com Natália Amaral, do NRC-LPCC, no último ano a participação rondou os 10.000, número que pretendem ver ultrapassado já este sábado.

As caminhadas vão decorrer todas à mesma hora, num gesto simbólico de coesão e união. Mas, apesar dos programas semelhantes, contanto todos com animação diversa, há cidades que continuam a destacar-se pela forte participação, num envolvimento muito especial que junta não só mulheres que já padeceram da doença, familiares e amigos mas também muitas associações e outras entidades que, conscientes da importância deste tema, se associam à caminhada, envergando também as t-shirts rosa que vão colorir as ruas.

Natália Correia lamenta que em Coimbra a adesão ainda esteja bastante aquém do desejado, apesar de, nos últimos anos, o comércio da Baixa se ter envolvido de forma ativa neste evento, contribuindo para a sua promoção e maior participação. De acordo com os dados divulgados pelo NRC-LPCC, das perto de 10.000 pessoas que participaram nas sete caminhadas no ano passado, apenas cerca de 1.800 se juntaram em Coimbra.

Sónia Silva, também do NRC-LPCC, recorda que estas caminhadas começaram em 2010 e “a cada ano têm tido cada vez mais participantes, sendo também expressiva a angariação de fundos que advém destes eventos”. Espera novamente um “forte apoio da comunidade” e desafia as pessoas a saírem à rua e a apoiarem esta causa que a tantas famílias toca.

Desde que foi lançada, em 2010, a caminhada já envolveu mais de 45 mil participantes e permitiu a angariação de cerca de 273 mil euros, valor que reverte na íntegra para a apoiar os muitos projetos de apoio aos doentes e famílias que a LPCC promove.

População de Coimbra reúne-se na Praça da República

Com início marcado para as 15h00, em todas as cidades, a caminhada conta com um programa de animação complementar, antes, durante e no final do percurso, terminando num agradável ambiente de confraternização.

Em Coimbra a caminhada começa na Praça da República onde, a partir das 13h00, há animação com um Dj, pinturas faciais e atuação de um grupo de gaiteiros que vai também acompanhar o percurso. Quando o grupo chegar à Praça 8 de Maio vai ser surpreendido por concertinistas. O percurso termina no Parque Verde, onde os participantes vão contar também com muita animação, como uma aula de zumba, atuação de um grupo de cavaquinhos e de um grupo de dança. Não vai faltar também o cantar do hino associado a esta causa, com letra da autoria de uma das voluntárias.

Qualquer pessoa se pode associar a estas caminhadas, independentemente do sexo e da idade. As inscrições podem ser efetuadas nos vários núcleos e também noutros espaços que se associam à iniciativa. Quem não o conseguir fazer antecipadamente pode inscrever-se no próprio dia, nos locais das concentrações. A inscrição tem um custo de cinco euros, que inclui t-shirt, garrafa de água e folhetos informativos. O valor dos kits reverte na íntegra para o NRC-LPCC e vai ser aplicado nos vários projetos que desenvolve.

Cancro da mama mata 1.500 mulheres por ano em Portugal

Esta caminhada realiza-se sempre em outubro, Mês Internacional de Prevenção do Cancro da Mama.

De referir que cancro da mama, uma das doenças com maior impacto na nossa sociedade, é o tipo de cancro mais comum entre as mulheres (não considerando o cancro da pele), e corresponde à segunda causa de morte por cancro, na mulher. Estima-se que na Europa surjam todos os anos 430.000 novos casos  de cancro da mama e que uma em cada 10 mulheres venha a desenvolver a doença antes dos 80 anos. O cancro da mama é o tipo de cancro mais comum entre as mulheres, e corresponde à segunda causa de morte por cancro, na mulher. Em Portugal, anualmente são detetados cerca de 6.000 novos casos de cancro da mama, e 1.500 mulheres morrem com esta doença.


  • Diretora: Zilda Monteiro

Todos os direitos reservados Grupo Media Centro

Rua Adriano Lucas, 216 - Fracção D - Eiras 3020-430 Coimbra

Powered by DIGITAL RM